https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/lucimar.jpg

GREVE NA EDUCAÇÃO

Prefeitura de VG rebate sindicato e diz que município está cumprindo acordo

Divulgação

A prefeitura de Várzea Grande, por meio de nota, rebateu o Sindicato dos Trabalhadores da Rede Pública de Ensino de Mato Grosso – Subsede Várzea Grande – sobre a greve que começou nesta terça-feira (15), no município. A categoria alega que o município não estaria cumprindo o acordo feito em agosto do ano passado.

VEJA ABAIXO:

A prefeitura municipal de Várzea Grande, por meio da Comissão Permanente de Negociação, instituída pelo Decreto 08 de 11 de fevereiro esclarecer que:

O acordo coletivo firmado entre o Município de Várzea Grande e o Sindicato dos Trabalhadores da Rede Pública de Ensino de Mato Grosso – Subsede Várzea Grande (Sintep/VG) com a intermediação do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) vem sendo cumprido devidamente dentro dos prazos sem prejuízos a categoria;

O acordo coletivo transformado em Lei Complementar Nº 4.093/2015 proporcionou uma correção de 13,66% sobre as perdas da categoria nos anos de 2014 e 2015. A prefeitura concedeu em agosto passado, conforme estabelecido a correção de 9% e outros 4,66% pagos de forma antecipada nos salários de dezembro passado;

O piso salarial de 2016, estipulado nacionalmente em R$ 2.135,00 ou uma correção de 11,36% acima da inflação, conforme acordo celebrado, começa a ter sua vigência a partir do dia 1o de maio, retroativo a 1ode janeiro, sendo que seu impacto estimado eleva a folha de pagamento da Educação para R$ 7,7 milhões/mês, ou seja, a montante gasto com salários para a Educação em Várzea Grande superará a marca de R$ 100 milhões, próximo de 68% de comprometimento do total do orçamento para o ano que e de R$ 148 milhões;

Com relação a outros quesitos acordados junto à categoria, a revisão do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) e enquadramentos foi instituída a Portaria Nº 50/2015, de 7 de dezembro de 2015, com prazo estipulado de 180 dias de vigência. Nessa Portaria participam dos estudos membros do governo e representantes do Sintep/VG. O Município reforça que está dentro do prazo de estudo e lembra que o prazo finda em junho deste ano.

A Comissão Permanente de Negociação entende ainda que a Administração Pública vem atendendo à pauta de reivindicações e que desde o ano de 2013, a categoria sindical vinha negociando sem êxito nas gestões anteriores.

A Comissão informa ainda que as novas reivindicações extra acordo coletivo também estão sendo objeto de estudos junto as secretaria afins – Educação, Administração e Gestão Fazendária – em busca de ponto comum e dentro das possibilidades da Administração Pública.

A Comissão entende ainda que o Sintep/VG agiu de forma precipitada ao deflagrar a paralisação, visto que, a prefeitura municipal de Várzea Grande mantém o diálogo aberto e instituiu Comissão Permanente de Negociação respeitando os preceitos democráticos.

A administração municipal esclarece ainda que a paralisação visa garantir tão somente a aprovação do novo piso salarial antes da data de 02 de abril, mesmo com vigência a partir de 1o de maio por causa dos prazos eleitorais que impõe restrições ao Poder Público Municipal de conceder vantagens salariais, seis meses antes do pleito marcado para 2 de outubro.

Infelizmente, a atitude abusiva do Sindicato vai causar transtornos pedagógicos e prejudicar mais de 23 mil alunos que vão ficar fora das salas de aulas, mesmo a Prefeitura de Várzea Grande mantendo um canal de diálogo permanente justamente para se evitar que esses mesmos alunos contabilizem perdas no calendário letivo.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *