https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2016/03/images.jpg

VIOLÊNCIA SEM FIM

Criança de seis anos morre após ser agredida a marteladas pelo padrasto

Uma criança de seis anos foi espancada pelo padrasto e morreu 20 dias após dar entrada no Pronto-Socorro de Cuiabá em estado grave.

O caso aconteceu em Cuiabá e o autor do crime ainda não foi encontrado

Criança ficou internada por mais de 20 dias no Pronto-Socorro de Cuiabá, mas não resistiu aos ferimentos e morreu

O delegado Eduardo Botelho, titular da Delegacia de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica), confirmou que o principal hematoma causado na vítima foi proveniente de uma martelada.

O crime está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que procura o padrasto da criança para indiciá-lo por homicídio doloso contra incapaz, e também pela Deddica, que investiga se a mãe foi conivente com a agressão, já que quem contou o ocorrido foi a própria criança, quando estava internada.

Segundo o delegado Botelho, o padrasto espancou a criança por ela ser desobediente. Como o garoto não parava de chorar, o homem pegou um martelo e bateu nas costas do menino, que foi levado para o hospital desacordado.

Ao chegar na unidade médica, os enfermeiros acionaram a Polícia Civil, que imediatamente disponibilizou uma psicóloga para acompanhar o caso.

Enquanto a criança conseguia conversar, ela lembrou que o padrasto a agrediu muito e por fim lhe bateu com a ferramenta.

Na noite de terça-feira (22), a criança sofreu uma parada cardíaca e acabou morrendo  na unidade infantil do Pronto-Socorro.

Desde então a DHPP entrou no caso e procura o padrasto.

A delegada Luciani Barros preferiu não confirmar muitos detalhes, por se tratar de uma investigação que está no começo.

“Não vamos divulgar o nome, porque é um trabalho em conjunto”, disse a investigadora.

O nome da criança também foi preservado, porém em 30 dias, quando sair o laudo do IML sobre a real causa da morte, o delegado Eduardo Botelho deve chamar a imprensa para dar mais detalhes sobre o homicídio.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *