CLIMA QUENTE

Ex-senador Antero de Barros e ex-vereador Lúdio Cabral trocam ‘farpas’ na internet

A coisa esquentou na política de Mato Grosso após uma entrevista dada pelo ex-senador e marqueteiro Antero Paes de Barros ao dizer que se Lúdio Cabral (PT) tivesse vencido as eleições de 2014 para o Governo do Estado, Silval Barbosa (PMDB) e Companhia Ltda. não estariam presos no Centro de Custódia de Cuiabá.

Em resposta a citação de Antero, o petista usou o Facebook para rebater as declarações de Antero.

VEJA NOTA ABAIXO:

Tenho diferenças políticas com o Antero Paes de Barros. Apesar disso, e ele próprio sabe, respeito-o e reconheço a sua competência como marqueteiro eleitoral, mesmo sendo ele um anti-petista militante, tendo trabalhado e sido fundamental para a vitória dos meus adversários nas campanhas de 2012 para a prefeitura de Cuiabá e de 2014 para o governo do estado.

Mas essa agora do Antero se arrogar capaz de prever um futuro alternativo no caso de uma eventual vitória minha na eleição para governador me surpreendeu.

Surpreendeu porque ele, ao mesmo tempo em que prevê o futuro, demonstra não se lembrar do passado. Ou o Antero perdeu a memória ou ele considera que a população mato-grossense é quem não tem memória.

Vamos aos fatos. Sem qualquer pré-julgamento.

Primeiro, a influência e o poder do ex-deputado José Riva na Assembleia Legislativa e no estado nasceu e se consolidou durante os governos do PSDB do então secretário de comunicação, secretário da casa civil e depois senador Antero Paes de Barros. Poder e influência que fizeram o próprio Antero já candidato a governador em 2002 ter Janete Riva, esposa do ex-deputado à época filiado também ao PSDB, como candidata a vice-governadora em sua chapa.

Pergunto ao Antero, o José Riva dessa época era diferente do José Riva de hoje?

Segundo, não é sob a responsabilidade do PT ou sob minha responsabilidade que o Antero deve colocar o ex-governador Silval Barbosa e os seus ex-secretários.

O principal responsável politico pelo mandato exercido por Silval é o ex-governador e atual senador Blairo Maggi. É do Blairo que o Silval foi vice-governador, foi o Blairo que renunciou ao mandato de governador para o Silval assumir o governo e depois disputar e ser reeleito governador em 2010. Foi o Blairo seu principal cabo eleitoral e foi do Blairo que o Silval herdou seus principais secretários.

Um parêntese. O mesmo Blairo que apoiou e mobilizou os bilionários do agronegócio em apoio ao Pedro Taques na eleição contra mim.

Não sou eu o responsável pelo que aconteceu de errado ou de certo no governo do Silval.

O fato de ter sido apoiado pelo PMDB e pelo Silval não impediria que seu governo fosse auditado e não impediria que as instituições de fiscalização e controle cumprissem seu papel, em caso de uma vitória minha em 2014.

Quem diz o que o Antero disse não percebe que, mesmo involuntariamente, não está desrespeitando só a mim. Se fosse só a mim, entenderia como parte da disputa política. O problema é que quem diz isso está desrespeitando a Controladoria Geral do Estado, a Delegacia Fazendária, o Ministério Público Estadual e a Justiça de Mato Grosso.

Estas instituições são instituições de Estado e não podem ter sua atuação tutelada por quem exerce o mandato de governador.

Ou será que o Antero não acredita na atuação destas instituições independente de governos?

Eu respeito cada uma destas instituições e é exatamente por isso que a afirmação futurológica do ex-senador Antero não tem qualquer sentido.

Repito. O Antero e toda a população de Mato Grosso podem ter certeza da minha confiança e do meu respeito pelas instituições internas de controle e fiscalização, pelo ministério público e pelo judiciário.

Todo e qualquer governo deve ser rigorosamente fiscalizado em caráter permanente, assim como todo crime no âmbito da administração pública deve ser investigado e os responsáveis punidos no rigor da lei, obedecendo-se ao devido processo legal e assegurando direito de defesa.

Afinal, assim deve funcionar o Estado Democrático de Direito.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *