https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2016/03/H1N1.jpg

PREOCUPANTE

Vacina contra o vírus H1N1 está em falta na rede particular em Cuiabá

Acabou o estoque de vacinas contra a gripe H1N1 também na rede particular de Cuiabá.

Ontem, o DIÁRIO conversou com o Núcleo de Vacinas da Unimed, e foi informado que as doses restantes foram consumidas em menos de três dias.

A procura pela vacina aumentou após o aumento de casos da gripe registrado em todo o território nacional. Já na rede pública, algumas doses devem ser disponibilizadas a partir de amanhã.

De acordo com a técnica de enfermagem, Maria Aparecida, que atual no núcleo da Unimed na Rua Barão de Melgaço, o estoque de lá continha 100 doses, que se esgotaram ao meio-dia de ontem.

“Foram cerca de 100 doses em menos de três dias. A procura maior começou na segunda-feira. Quem está vindo atrás, estamos recomendando voltar na próxima semana, quando as novas doses devem chegar”, lembrou.

No núcleo, que pode ser encontrado tanto na Unimed da Barão, quanto na loja instalada na avenida do CPA, a vacina sai por R$ 55 para quem é cliente do convênio e R$ 65 no particular.

Maria ressalta que a chegada do novo lote deve alterar esse valor, mas ela não soube informar para quanto passará.

Vale lembrar que, em 2014, pouco antes da Copa do Mundo, um boato de surto da H1N1 se espalhou e fez muitas pessoas buscarem pela vacina na rede particular. Mais de 10 mil pessoas pagaram pela dose e foi graças ao núcleo, à demanda foi atendida.

Por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), o Ministério da Saúde informou que vai disponibilizar para os Estados, doses da vacina a partir de amanhã, apesar da Campanha Nacional de Vacinação começar só no dia 30 de abril.

A reportagem conversou com a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), e foi informada de que Mato Grosso vai receber essas doses extras, mas não soube informar quantas serão.

Espera-se que 698.212 mil pessoas sejam vacinadas no estado durante a campanha, que segue até 20 de maio.

O público-alvo ou de alto risco são crianças acima de seis meses, bem como trabalhadores da saúde, do sistema prisional, índios, gestantes, adultos com 60 anos ou mais, bem como os portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais.

Isso na rede pública. Vale lembrar que, na particular, qualquer pessoa pode ser vacinada, mas, conforme Maria Aparecida, desde que não apresente quadro de febre.

A SES informou que está acompanhando os casos notificados de Síndrome Respiratória Aguda Grave, que pode ser ocasionada pela H1N1. Até o momento, apenas um caso de H1N1 foi confirmado em Cuiabá, resultando na morte do paciente.

Apesar de 35 casos notificados da síndrome no Estado, seis tiveram resultado não detectável para H1N1, e 28 estão em investigação. Das mortes notificadas, oito estão em investigação.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *