VIRANDO A CASACA

Impeachment: “A decisão precisa ser tomada agora”, alerta Blairo Maggi

O senador Blairo Maggi (PR) alertou para o risco de o Governo chegar ao final do ano sem dinheiro para o pagamento das despesas básicas, como os salários dos servidores públicos. “Se nós não tomarmos as providências devidas, e rápido, não sei se nós chegaremos ao final do ano com o Governo tendo condições de honrar as coisas mínimas como o salário daqueles que trabalham e as despesas fixas do Governo”.

Essa crise, na avaliação do senador, deverá atingir também os poderes Legislativo e Judiciário, além de órgãos como Ministério Público e Tribunais de Contas. “Quando faltar dinheiro em uma casa, todos pagarão essa conta”, observou. Blairo Maggi se mostrou pessimista quanto ao futuro, uma vez que as empresas estão sem condições de se manterem e, por consequência, há redução da arrecadação.

“A sociedade está cada dia mais pobre, com mais dificuldades. No ramo empresarial está havendo uma corrida à recuperação judicial, as empresas não têm mais como bancar os seus funcionários, as suas despesas. O final de tudo isso é que o Governo não conseguirá honrar o básico, porque aqueles que trabalham ou que deveriam trabalhar e pagar os impostos, não estão tendo condições. Portanto, a situação que vem pela frente é bem ruim”, lamentou.

Para o senador é necessária uma tomada de decisão, desde que os prazos legais sejam observados. “Nós podemos ir para duas situações uma de ter o impeachment e outra de não ter o impeachment. As duas são situações complicadas e as duas vão cobrar do PMDB e do Congresso a responsabilidade de conduzir esse país. Não tenho dúvidas de que nós vamos ter muitos problemas”, previu.

Blairo Maggi voltou a afirmar que o discurso de golpe apregoado pelo Governo não faz  sentido e que o golpe ocorreu nas eleições de 2014. “Quando foi vendida para a população brasileira uma linha, uma estrutura e um valor que esse Governo tinha e logo que se passaram as eleições nós vimos que não era verdade. Então o golpe foi dado nas urnas”.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *