QUARTA FASE

Investigação da Sodoma revela que filho de Silval Barbosa ficou com 85% de propina

As investigações da terceira fase da operação Sodoma revelam que Rodrigo Barbosa,  filho do ex-governador Silval Barbosa,  recebeu propina de 85% do montante de R$ 510 mil pago pelo empresário Júlio Minori Tisuji, dono da empresa Web Tech Softwares e Serviços Ltda, que tinha contrato com o estado.

A informação consta no depoimento do ex-secretário de administração, Pedro Elias Domingos de Mello, preso na terceira fase da Sodoma.

O ex-secretário contou, em seu interrogatório, que recebeu propina do empresário em três oportunidades durante os anos de 2013 e 2014.

Os valores foram pagos em parcelas, a primeira de R$ 180 mil, a segunda de R$ 170 mil, e a terceira de R$ 160 mil.

O ex-secretário disse que ficou com 15% do valor e 85% foram entregues pessoalmente ao investigado, Rodrigo Barbosa, em espécie, no apartamento dele, na região da Praça Popular, na capital.

“Por isso teve  a prisão decretada, por associação com a organização criminosa e participação na corrupção. Dinheiro que possivelmente seria repassado a Silval”,  declarou o delegado da Defaz, Lindomar Tofoli.

Rodrigo Barbosa teve o mandado de prisão preventiva cumprido, nesta segunda-feira (25.04), em um escritório de comunicação, no Centro Empresarial Paiaguás, na Avenida Rubens de Mendonça (CPA), na capital. O local também foi alvo de busca e apreensão, assim como a casa dele.

O delegado Lindomar Tofoli informou que Rodrigo é investigado por envolvimento em crime de corrupção e ligação com a organização criminosa chefiada por Silval Barbosa. Ele também teria recebido propina durante o governo de Silval.

Segundo o delegado, Rodrigo não foi interrogado e irá analisar a documentação do inquérito para ver se há necessidade de ouvi-lo. O preso foi encaminhado ao Centro de Custódia de Cuiabá.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *