https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/silval-barbosa1.jpg

DENÚNCIA DO MPE

Zílio deixava dinheiro no banheiro do Paiaguás; Silval ficou com R$ 10 milhões

Hipernotícias

Trecho da denúncia do Ministério Público do Estado revela que o empresário Willians Mischur pagou à organização criminosa liderada por Silval Barbosa (PMDB) e para o então deputado estadual José Riva (sem partido) a quantia de R$ 17,6 milhões.

Segundo o MPE, a extorsão ocorreu no período de março de 2011 e dezembro de 2014.

No depoimento do empresário, ele revelou que o então secretário de Administração César Zílio foi orientado por Silval Barbosa (PMDB), logo no início da gestão do peemedebista, para que fosse cobrada a propina, no valor de R$ 500 mil mensalmente, sob o argumento de pagar dívidas de campanha do ex-governador.

Num primeiro momento, a organização teria cobrado o valor de R$ 700 mil, mas o empresário fez uma contraproposta de R$ 300 mil e o valor acabou fechando em meio milhão.

Mesmo pagando propina mensalmente para o grupo de Silval, o empresário revelou que durante quase quatro anos foi ameaçado constantemente para que a vítima aumentasse o valor da propina.

De acordo com o depoimento do ex-secretário César Zílio, a organização criminosa, segundo o MPE, teria recebido em torno de R$ 14,5 milhões.

Desse total, Zílio ficou com R$ 4.350.000,00 e Silval Barbosa com R$ 10.150.000,00.

O ex-secretário admitiu que assim que recebia o pagamento do empresário Willians Mischur fazia a entrega do dinheiro dentro do banheiro do gabinete de Silval Barbosa, no Palácio Paiaguás.

Esclareceu CÉSAR ZÍLIO que no mesmo dia que recebia a propina do empresário, repassava a parte correspondente a SILVAL BARBOSA, posto que era constantemente cobrado pelo então governador.

E, para tanto, se dirigia ao gabinete do governador, sempre após o expediente, já no período noturno, levando o dinheiro em uma sacola ou envelope que pessoalmente deixava no banheiro do gabinete, na presença de SILVAL, avisando-lhe textualmente o valor deixado e quem procedera ao pagamento.

Informou que constantemente era cobrado por SILVAL que reclamava que o valor pago pela empresa era pouco, pressionando CÉSAR a exigir que o valor fosse aumentado“, diz trecho da denúncia.

Foto: Hipernotícias

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *