https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2016/05/perminio-pinto.jpg

DESVIOS DE R$ 56 MILHÕES

Após operação do Gaeco na Secretaria de Educação, Permínio pede demissão

Divulgação

Caiu. Após a operação do Gaeco na Secretaria de Educação do Estado que apontou o desvio de R$ 56 milhões em 23 obras de reformas e construções de escolas, o secretário de Estado Permínio Pinto (PSDB) pediu demissão do cargo ao governador Pedro Taques (PSDB), que prontamente aceitou.

Em seu lugar assume o chefe de Gabinete do Governo, José Arlindo Silva, que terá a missão de conduzir a Secretaria de maior orçamento do Estado.

Pinto alegou que não teria mais condições para continuar no cargo e solicitou a sua saída, que foi acatada por Taques.

Considerado um dos homens de confiança do governador, José Arlindo assumirá interinamente a Secretaria e contará com o apoio da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e do Comitê de Gestão do governo Taques, formado pelos secretários de Fazenda, Gestão e Planejamento.

O secretário-adjunto Gilberto Fraga continuará na Pasta e dará apoio pedagógico ao novo secretário.

Já o servidor Fábio Frigeri, preso durante a Operação, foi exonerado do cargo pelo governador.

A operação Rêmora foi deflagrada ontem pelo Gaeco, que desarticulou uma organização criminosa que favorecia um cartel de empreiteiras que executavam obras de reforma e construção de unidades escolares em vários municípios. A suspeita é de que as fraudes tenham gerado prejuízo de até R$ 56 milhões aos cofres públicos

Além de Frigeri, foram presos Moises Dias da Silva e o empresário Giovani Belato Guizardi.

O servidor Wander não foi localizado.

O advogado dele, Schinaider Gomide, disse que ele deve se apresentar.

Gomide comentou que o cliente não foi localizado porque estava de férias.

As investigações tiveram inicio após o Gabinete de Transparência e Combate à Corrupção, comandado por Adriana Vandoni (PSDB), após receber as denúncias e encaminhar ofício à Delegacia Fazendária contendo informações de uma denúncia de fraude em contratos de obras na Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

Conforme a decisão da juíza Selma Rosane Santos Arruda, da Vara Contra o Crime Organizado da Capital, não há indícios contra o secretário de Estado de Educação, Esporte e Lazer, Permínio Filho.

A juíza ressalva que “quanto às alusões feitas ao secretário da Pasta, entendo que, até este momento, não há suficientes indícios de que o mesmo esteja realmente envolvido nos fatos criminosos noticiados. A mera referência à pessoa do secretário, ainda que por mais de uma vez, não me faz supor que ele esteja ciente ou mesmo envolvido com o ocorrido, motivo pelo qual entendo que este juízo é o competente para processar e julgar o presente caso, reservando-me a adotar entendimento contrário, caso surjam indícios que apontem para o detentor da prerrogativa de foro”.

Permínio Pinto era um dos principais nomes do PSDB para ocupar a vaga de vice-prefeito na chapa de reeleição do prefeito Mauro Mendes (PSB) em Cuiabá.

O tucano já vinha demonstrando interesse em disputar o pleito de outubro. Com Diário de Cuiabá

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *