POLÊMICA DO RGA

Marrafon diz que Taques pegou Estado de MT como ” cheque pré-datado e sem fundo”

O secretário de Planejamento do Estado, Marco Marrafon, disse, em entrevista ao SBT Comunidade, desta terça-feira (17), que o caos financeiro que atinge o Governo é proveniente das leis que aumentaram o salário de várias categorias no passado.

Segundo Marrafon, o governador Pedro Taques (PSDB) pegou o Estado como se fosse um ‘cheque pré-datado e sem fundo’ da administração anterior.

O secretário fez um extrato da situação econômica do Governo e mostrou que ainda não é possível conceder aos mais de 97 mil servidores do Estado o Reajuste Geral Anual (RGA), que é de 11,28%.

Atualmente, o Governo paga em torno de R$ 600 milhões de salário, atingindo 51,05 % acima da meta estabelecida da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) que é de 46,55%.

Caso o RGA seja concedido, Marrafon argumentou que o Estado vai precisar desembolsar em torno de R$ 80 milhões para conseguir manter o salário do servidor em dia.

Caso isso ocorra, sem essa previsão nos cofres, o salário do servidor pode começar a atrasar a partir de agosto deste ano.

O secretário alertou que 25 Estados não devem pagar o RGA, sendo que em 15 o Governo já atrasa o salário.

Uma das medidas citadas para conseguir dar o RGA será o convencimento na redução do duodécimo ao Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas, Assembleia Legislativa e Ministério Público do Estado. “Isso não é uma imposição. Estamos tentando convencer, mostrando que o Estado está cortando na carne para reduzir despesas”, comentou.

Levantamento da Secretaria de Planejamento mostra que o Estado conta hoje com 6.290 servidores comissionados. Desse total, 4.776 cargos são exercidos por servidores de carreira.

Uma nova reforma administrativa deve ser encaminhada à Assembleia Legislativa até o final de maio.

A previsão é que Fundações e Autarquias sejam extintas.

Marrafon negou que haverá demissões.

GREVE GERAL

Por unanimidade, os servidores públicos do Executivo Estadual decidiram em assembleia geral realizada na manhã desta terça-feira (17),  entrar em greve a partir do próximo dia 24 de maio.

Com isso, eles descartaram a hipótese de esperar uma nova proposta do Palácio Paiaguás referente ao RGA (Reajuste Geral Anual) de 11,28 % que seria feita em junho.

Pedro Taques (PSDB), em reunião na semana retrasada, disse que o Governo não tem condições de pagar o RGA neste ano.

Após o anúncio do não pagamento da Revisão Geral Anual – RGA, feito no dia 6 de maio pelo governo Pedro Taques (PSDB), cerca de 70% dos sindicatos e associações que representam os servidores públicos estaduais aderiram à paralisação geral unificada que ocorre por 24 horas no dia de hoje (17) em todo o Estado.

O Fórum Sindical realizou diversas reuniões com as categorias do funcionalismo público para discutir a posição do governo.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *