https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/10/josé-riva-dois-dois.jpg

É HOJE

José Riva presta depoimento ‘bomba’ sobre fraude descoberta na Ventríloquo

De atestado médico, Riva não comparece em audiência de instrução

Está previsto para as 13h30 desta segunda-feira (23), o depoimento do ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Geraldo Riva (sem partido), à juíza Selma Rosane Arruda, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, em decorrência da ação penal da Operação Ventríloquo.

A oitiva estava prevista para a última sexta-feira (20), mas em virtude de problemas de saúda da magistrada, houve a transferência.

Na última vez que foi ouvido sobre essa ação, Riva admitiu que participou de um esquema de desvio de recursos da Assembleia Legislativa.

A fraude foi descoberta na Operação Ventríloquo onde em torno de pouco mais de R$ 9,3 milhões foram desviados da Assembleia Legislativa.

A confissão de Riva foi feita à juíza Selma Rosane Arruda, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá.

A mudança de comportamento de Riva está atrelado ao fato dele ter ficado vários meses preso no Centro de Custódia de Cuiabá ao longo de 2015 e este ano, de acordo com informações repassadas por sua defesa.

O advogado que patrocina a defesa de Riva, Rodrigo Mudrovitsch, diz que isso não é uma delação premiada, mas sim a confissão para também se obter benefícios da lei.

“Em casos em que o fato foi praticado, nós sempre adotaremos essa postura de confissão irrestrita, e plena com o intuito de obter os benefícios que a legislação dá”, comentou.

MAIS BOMBA

O advogado, em entrevista à imprensa, garantiu que o ex-deputado vai abrir a boca em casos em que é acusado indevidamente.

Segundo o defensor, José Riva passará a nominar as pessoas que realmente tiveram participação por terem sido beneficiadas em esquemas relacionados à Assembleia Legislativa.

Rodrigo Mudrovitsch alegou que o ex-presidente da Assembleia Legislativa, além de assumir a culpa nos casos em que é comprovada a sua participação, também fará a devolução do dinheiro que recebeu de forma desviada.

No caso da Operação Ventríloquo, Riva deve devolver em torno de R$ 700 mil.

Riva, em seu depoimento, não só confessou envolvimento no desvio de R$ 9,3 milhões, como citou a participação dos deputados Romoaldo Júnior (PMDB) e Mauro Savi (PSB) como beneficiários.

O ex-presidente da Assembleia Legislativa também citou um assessor, sem nominar, do atual presidente da Casa, deputado estadual Guilherme Maluf, que também teria recebido dinheiro desviado.

 

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *