VIA WHATSAPP

Presidente de Sindicato de MT critica servidor da Saúde que não aderiu à greve

O presidente do Sindicato dos Servidores da Saúde e do Meio Ambiente do Estado de Mato Grosso (Sisma-MT), Orcarlino Alves, encaminhou áudio aos servidores da Secretaria de Estado de Saúde (SES) criticando os funcionários que decidiram não aderir ao movimento grevista do funcionalismo público estadual.

Oscarlino reclama dos servidores que decidiram trabalhar para a continuidade dos serviços públicos.

No áudio encaminhado via Whatsapp, Orcarlino diz que é decepcionante ver que servidores preferem trabalhar a participar de passeata realizada pelo movimento grevista.

“Tem muitos de vocês que permanecem dentro das unidades, fazendo ‘sei lá o que’, não segue orientação do sindicado e não segue orientação daqueles que estão lutando”, disse em trecho do áudio.

“Tem colegas reclamando de vocês mesmo. Olhem um para o outros e vejam que o seu colega está na rua, lutando por você enquanto você está acomodado dentro das unidades”, afirma.

Para o presidente do sindicato, ao realizar o atendimento da população, os servidores da saúde preferem fazer uma ‘continha ridícula’ de manter um plantão no bolso à ir nas manifestações.

“Atender a opressão de funcionários de carreira que ocupam cargozinho temporário e acham que são os donos da paçoca e que têm o rei na barriga. Nós estamos lutando por vocês”, disse.

Oscarlino diz ainda que não citaria o nome das unidades porque os servidores sabiam quais eram. “Tem unidade de Cuiabá que decepcionou o movimento”, afirmou o presidente do Sisma.

Por fim, o presidente do Sisma-MT afirma que continuará na luta junto com os outros servidores.

Em contato com Mato Grosso Mais, Oscarlino Alves reafirmou o compromisso do Sindicato em busca de melhores condições de trabalho e salário para a categoria.

E que vem recebendo informações de vários servidores da Saúde que existem colegas não que estão engajados na luta, por isso, o desabafo.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *