https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2016/03/Pedro-Taques-03-e1500912620870.jpg

ENTREVISTA NO SBT

Em entrevista no SBT, Taques fala sobre situação do RGA e Duodécimo dos Poderes

Divulgação

O governador Pedro Taques (PSDB) participou de uma entrevista no programa Resumo do Dia (TV Rondon – canal 5) na noite de ontem (6).

Nesta terça-feira (7), o SBT Comunidade também exibirá uma entrevista com o governador Pedro Taques, a partir das 11h.

Taques entre os vários assuntos abordados na entrevista, falou sobre a situação financeira do Estado e sobre a polêmica envolvendo a Revisão Geral Anual (RGA).

O governador admitiu a possibilidade de ampliar o pagamento do RGA (Rejuste Geral Anual) para os servidores públicos.

Mas admitiu que para isso, ele precisa ter três fatores: aumento da arrecadação, renegociação da dívida com a União e ainda a taxação do setor produtivo.

Nesta segunda-feira (6), o Governo manteve a proposta de 6% da RGA aos servidores.

Os funcionários públicos não acataram a proposta e começaram a greve geral no último dia 31.

“Não existe possibilidade de mudar a proposta agora. Se tivermos um aumento de receita, renegociar a dívida e o setor produtivo nos ajudar, podemos fazer no futuro uma nova proposta. Você prefere salário em dia ou parcele em três vezes? A culpa não é do governador, mas da crise nacional”, explicou.

Segundo o governador, apenas Mato Grosso e Paraná se propuseram a corrigir os salários do funcionalismo.

“Estamos vivendo a maior crise econômica dos últimos anos. Vinte e cinco estados não pagaram o RGA. Minha vontade é pagar, mas eu não posso pagar. Não tenho recursos e não posso fabricar dinheiro. Afinal, o Estado de Mato Grosso não é fábrica de dinheiro”, disse.

O governador voltou a citar que a folha de servidores cresceu em 2014% 12% enquanto que a arrecadação apenas 6%.

“Vou trabalhar muito para aumentar a receita. Torcer para que seja a melhor do Brasil também. Não é o momento de greve. O brasil passa por uma crise e o servidor é o maior patrimônio do Estado”, assinalou.

Em relação a proposta de redução do duodécimo dos poderes em 15% para 2017, o governador explicou que o assunto ainda está sendo debatido.

“Cada um tem que fazer sua parte. Eu não posso obrigar e vivemos numa democracia. A questão não é só o duodécimo, mas também o duodécimo”, salientou, ao comparar que a Assembleia Legislativa recebe anualmente cerca de R$ 380 milhões, valor superior ao Orçamento da cidade de Várzea Grande com 300 mil habitantes.

Pedro Taques revelou que implantará uma reforma impressionante no Estado com extinção de secretarias e cargos.

“Vai ser uma reforma mais forte do muitos esperam”, avisou, ao declarar que nesta semana receberá o estudo.

O governador comemorou o fato do setor produtivo ter demonstrado intenção de ajudar na recuperação do Estado aceitando um novo tributo. Ele admitiu a hipótese do Decreto 380, que muda a cobrança do ICMS (Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços), não entre em vigor no dia primeiro de julho passando para janeiro de 2017. Com Folhamax

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *