https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2016/06/RGA2.jpg

NO RIO PARAGUAI

Servidores públicos cobram RGA do Estado durante Festival de Pesca de Cáceres

O Festival Internacional de Pesca de Cáceres (205 Km de Cuiabá) foi marcado por protesto dos servidores públicos do Estado.

Os servidores do município e região usaram barcos para fazer protesto no rio Paraguai com faixa pedindo que o Governo conceda os 11,28% da Revisão Geral Anual (RGA).

O Festival de Cáceres é o maior evento de pesca de Mato Grosso e atrai turistas de outros estados e até de outros países. O encerramento ocorreu nesse domingo (12).

Apesar do protesto, o Fórum Sindical, entidade que congrega 32 sindicatos e associações de servidores, espera que as categorias realizem até terça-feira (14) assembleias individuais para decidir se mantêm ou não a paralisação.

O Executivo fez proposta de pagar 6% em três parcelas (setembro, janeiro e abril de 2017), além do restante (5,28%) quando for registrada redução no gasto com pessoal abaixo de 49% da receita, assim como o retroativo em maio, junho e julho do ano que vem, já que a Revisão deveria ocorrer integralmente (11,28%) na folha de maio.

As manifestações de servidores haviam sido marcadas principalmente por passeatas e carreatas, além de acampamento no Centro Político Administrativo e cobrança junto a deputados na Assembleia Legislativa. Com Fato e Notícia

Veja Mais

Um comentário em “Servidores públicos cobram RGA do Estado durante Festival de Pesca de Cáceres”

  1. Teka Almeida disse:

    O que não ficou claro na colocação do governo quando fala em pagar os retroativos em três parcelas, em maio, junho e julho de 2017 é: vai pagar em dinheiro, como fez em janeiro de 2016 sobre a RGA de 2015??? ou vai acrescentar esse percentual no nosso subsidio???? Isso não ficou claro, se for pagar em dinheiro, ele está mais uma vez nos enganando, pois não será acrescido em nossos subsídios as nossas perdas salariais, isso também se emprega nos 5,28% que diz que vai pagar. Acho bom o fórum sindical verificar essa forma de reposição e explicar direitinho aos servidores e também divulgar a população.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *