BARRIL DE PÓLVORA

Tribunal de Justiça de Mato Grosso impõe multa de R$ 200 mil a sindicato dos agentes

O desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Alberto Ferreira de Souza, emitiu nova decisão na noite dessa sexta-feira (24), reafirmando a ilegalidade da greve dos agentes penitenciários de Mato Grosso.

Na decisão, o magistrado impôs multa diária de R$ 200 mil ao presidente do Sindicato dos Servidores Penitenciários (Sindspen), João Batista.

Além de atribuir ao presidente do Sindspen, toda a responsabilidade de possíveis caos no sistema penitenciário do Estado.

” A multa deverá ser paga pelo presidente do Sindicato e caso não seja cumprida, poderá responder por crime de desobediência e será responsável por qualquer instabilidade ocasionada no presídio e a sociedade mato-grossense”, diz decisão.

O magistrado alega que a decisão anterior vem sendo descumprida, colocando a ordem pública em risco. Ele argumenta que a população carcerária tem direitos de receber visitas e alimentos.

Os agentes decidiram manter a greve mesmo a após a decisão do último dia 3 (sexta-feira) que considerou ilegal.

Na mesma decisão outras 10 categorias ligadas a Segurança Pública também tiveram as greves consideradas ilegais.

Os agentes penitenciários decidiram manter a greve no último dia 14 (terça-feira) em assembleia geral.

Os servidores pedem o pagamento integral da Revisão Geral Anual (RGA) de 11,28%.

Diversas categorias do funcionalismo público ‘cruzaram os braços’ desde o último dia 31.

O governo alega não ter dinheiro para conceder a revisão para este ano, sob alegação da crise financeira.

O presidente do Sindspen, João Batista, não foi encontrado para comentar sobre a decisão.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *