https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/revólver.jpg

CONFUNDIDO COM ASSALTANTE

‘Achei que ia morrer’, diz adolescente baleado por vereador de MT

Divulgação

O adolescente de 14 anos que foi supostamente baleado por um vereador de Nobres, a 151 km de Cuiabá, relata o medo sentido e as ameaças sofridas pelo suspeito.

O vereador do DEM é investigado pela Polícia Civil.

No entanto, uma semana após ter atirado contra o adolescente, o acusado ainda não se apresentou à polícia.

O adolescente disse que o vereador o confundiu com outro jovem que teria assaltado a casa dele.

No dia 21 de junho, o adolescente jogava bola com amigos em uma quadra de esportes.

O menino relatou à polícia que o vereador chegou perguntando por um outro rapaz.

Como não encontrou esse rapaz, ordenou que a vítima e outros dois colegas entrassem na caminhonete dele.

Já era noite quando o acusado levou os três meninos até uma estrada a 3 km de Nobres.

Foi nesse local que o adolescente levou um tiro na perna.

“Naquele momento, eu achei que ia morrer”, declarou o adolescente em entrevista à TV Centro América.

A cidade é conhecida pelas belezas naturais e tem quase 15 mil habitantes. A família do garoto está há pouco tempo na cidade e pensa na possibilidade de se mudar.

“Nós descemos do carro e ele já fez o disparo contra mim. Eu já caí no chão, com dor. [Ele] me ameaçando: ‘eu vou matar você”, lembrou o adolescente.

O pai do adolescente está muito abalado.”Só espero que a justiça seja feita. Um cara desse, que ainda é presidente da Câmara, deveria ser um bom exemplo e não fazer uma coisa dessa com o filho dos outros”, declarou o pai do adolescente.

Investigação

Segundo o delegado responsável pela investigação, Caio Fernando Alvares, o advogado do vereador já procurou a delegacia e disse que o acusado vai se apresentar.

Para o advogado da família, Marco Antônio, a situação cabe um processo.

Ele pretende processar o vereador por sequestro, tentativa de homicídio, cárcere privado e tortura.

Ainda, o advogado pretende pedir a cassação do mandato dele.

O delegado diz que, inicialmente, o acusado vai responder por porte ilegal de arma de fogo, lesão corporal e ameaça. Com G1/MT

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *