POR MAIORIA

TJ rejeição exceção de suspeição e mantém juíza à frente de ações da Sodoma

A Segunda Câmara do Tribunal de Justiça de Mato Grosso rejeitou a exceção de suspeição ajuizada pela defesa do ex-governador Silval Barbosa (PMDB) contra a juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Rosane dos Santos.

O julgamento foi retomado na sessão desta quarta-feira (29) com o voto vista do juiz convocado Jorge Luiz Tadeu.

Ele argumentou que a autoridade realmente questionou vários pontos dos acordos de colaboração premiada realizados por João Batista Rosa, Frederico e Filinto Muller.

Para ele, a juíza se limitou a verificar a voluntariedade e legalidade dos colaboradores e não ultrapassou os limites previstos na lei.

“Vou além, penso que é dever do magistrado essa diligência que demonstra seriedade, preocupação e higidez com a prova colhida, que inspira cuidados para que não sirva de injustiça”, destacou.

O juiz convocado considerou ainda que a medida foi uma virtude da magistrada, que para ele não mediu esforços para buscar a verdade e se não tratava de uma “montagem” para incriminar os acusados.

Com a decisão, Selma Rosane segue a frente dos processos oriundos da Operação Sodoma.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *