CARAVANA DA TRANSFORMAÇÃO

TJ atende pedido do Governo e derruba liminar que suspendia cirurgia de catarata

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso cassou a decisão que suspendia a contratação de carretas para realização de cirurgias de catarata na “Caravana da Transformação”.

A decisão é da desembargadora Maria Aparecida Ribeiro, concedida durante o plantão do Poder Judiciário do Estado, deste sábado  (16).

O evento, que é realizado em Barra do Bugres e promove serviços de saúde e cidadania, começou na quinta-feira e segue até este domingo.

O Governo informa ainda que os demais serviços, que até ontem totalizaram 3.598 atendimentos, continuam normalmente, com responsabilidade e respeito ao cidadão de Mato Grosso.

Por má-fé ou desconhecimento, a Associação Mato-grossense de Oftalmologia utilizou o argumento de “real possibilidade de riscos de contaminação cirúrgica em ambiente inadequado” para barrar as cirurgias oftalmológicas na Justiça.

Conforme noticiado pelo Gabinete de Comunicação, os procedimentos cirúrgicos da Caravana da Transformação são rigorosamente regulados e auditados pela Vigilância Sanitária.

Os agentes sanitários acompanham todos os procedimentos, garantindo a higienização do local e equipamentos. Os relatórios são encaminhados diariamente ao Ministério Público.

Além disso, cada um dos pacientes passa pelo chamado “risco-cirúrgico”, em pré-operatório que define se ele está apto para a cirurgia nos modelos do Programa ou não.

A Caravana da Transformação segue rigidamente os preços da Tabela SUS (Sistema Único de Saúde).

Cada cirurgia sai pelo valor de R$ 643. Já na rede particular, uma cirurgia de catarata fica entre R$ 5 mil e R$ 8 mil por globo ocular e, dependendo dos equipamentos e tipo de lente a ser implantada no paciente, pode chegar a R$ 10 mil.

Portanto, a Caravana prejudica exclusivamente os interesses financeiros dos impetrantes da ação.

Os questionamentos envolvendo o procedimento administrativo de contratação da empresa que presta os serviços de saúde também serão refutados na Justiça.

O Governo reafirma o rigor com a lei, bem como sua submissão aos princípios que norteiam a administração pública.

Para além da discussão jurídica, o Governo de Mato Grosso lamenta que aspectos políticos prejudiquem a população que busca serviços públicos de qualidade e atendimento com dignidade.

Importante registrar que, mesmo após dar publicidade e transparência a todos os atos envolvendo a organização da Caravana da Transformação, o Estado só foi acionado na Justiça na véspera da ida do governador ao evento.

A estratégia, orquestrada por grupos políticos rivais, tem o claro intuito de constranger o Governo.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *