https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/10/Policia_civil-e1490622227905.jpg

DUPLA FACE

Polícia desarticula quadrilha que tentava aplicar golpe de R$ 1 milhão na CEF

Divulgação

Sete mandados judiciais foram cumpridos pela Polícia Judiciária Civil nesta terça-feira (26.07) durante a Operação “Dupla Face”, deflagrada com objetivo de desarticular uma organização atuante em crimes de falsidade ideológica, uso de documento falso, além de crimes contra o sistema financeiro e contra lei de licitações.

Foram três mandados de busca e apreensão domiciliar, três mandados de condução coercitiva, e um de prisão temporária, cumpridos em Cuiabá pela equipe da Delegacia de Polícia do município de Poconé (104 km ao Sul).

As investigações iniciaram no começo de mês de junho, após registro de um boletim de ocorrência de desaparecimento.

Na ocasião, a comunicante dos fatos se passou por filha de criação do desaparecido.

No decorrer das diligências para apurar o suposto sumiço, os investigadores de polícia de Poconé descobriram que não houve desaparecimento, e que a pessoa procurada possuía duas identidades e dois números de Cadastro de Pessoas Física (CPF).

De acordo com as informações, foi detectado que os suspeitos estavam tentando dar um “golpe”, em cerca de R$ 1 milhão, em empréstimos e financiamentos contra a Caixa Econômica Federal.

Conforme o delegado de polícia, Olímpio da Cunha Fernandes, a Polícia Civil está investigando os possíveis crimes praticados pelos envolvidos, como uso de documento falso e falsidade ideológica.

“Uma cópia do inquérito policial será encaminhada para órgãos da federação responsáveis, para que possam apurar os crimes de competência da Justiça Federal”, disse.

Com as ordens judiciais deferidas, os policiais civis apreenderam documentos e computadores.

Na condução, dois dos suspeitos foram encontrados e levados para prestarem declarações e esclarecimentos.

O suspeito com a mandado de prisão temporária em aberto, ainda não foi localizado. As investigações estão em andamento e outras ordens judiciais devem ser cumpridas.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *