https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/PALÁCIO-PAIAGUÁS.jpg

MALABARISMO

Estado alega repasse de R$ 22 milhões para Saúde ao atrasar duodécimo

Divulgação

O secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, disse que passou da hora de ‘ligar a chave’ na área da Saúde e emendou dizendo que o Governo pretende fazer uma revolução no setor.

O gestor reconheceu que a área está aquém do que desejaria o chefe do Executivo e que há esforços para colocar os repasses em dia aos municípios.

A declaração foi dada na última sexta-feira (12). O secretário revelou que o atraso no repasse do duodécimo dos poderes, no último dia 10 de agosto, se deu por conta do repasse de R$ 22 milhões aos hospitais regionais.

“Esse valor que nós repassamos à Saúde também faz parte dos atrasos aos municípios. Mas, notadamente, esses R$ 22 milhões foram para os hospitais regionais. Nós estamos tentando colocar isso em dia, nosso esforço é nesse sentido”, disse.

Paulo reconheceu que o próprio governador não está contente com a situação enfrentada na Saúde.

“A saúde ainda não está bem, não está ótima e nem perto do que o governador Pedro Taques desejaria. Isso é um fato e nós não podemos esconder os fatos. Estamos no terceiro secretário de Saúde, os dois primeiros o Bertúlio e o Bermudez tiveram suas conquistas, se dedicaram a causa governamental – todavia a saúde continua não andando muito bem”.

Para tentar driblar essa situação, Paulo explicou que o Executivo pretende ‘ligar a chave’. “O governador quis promover essa reforma, não gosto de dizer essa palavra [revolução], mas é isso que nós queremos fazer em Mato Grosso. O João Batista assumiu, ele entende do assunto e nós queremos ‘girar a chave’. Temos um problema financeiro muito grave, mas estamos mais uma vez cortando o que dá no custeio”.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *