HOMICÍDIO QUALIFICADO

MPE denuncia irmão de homem acusado de matar PM a tiros no CPA III em Cuiabá

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da 2ª Promotoria de Justiça Criminal de Cuiabá, ofereceu denúncia contra Carlos Alberto Oliveira Junior, vulgo “Juninho”, 31 anos, por homicídio qualificado, pela morte do policial militar, Elcio Ramos Leite, ocorrida no dia 02 de agosto deste ano.

De acordo denúncia, apesar de o acusado não ter desferido os disparos, ele imobilizou o outro policial, criando as condições para que o irmão, André Luiz Alves de Oliveira, atingisse a vítima.

“Juninho” também foi denunciado por tentativa de homicídio contra o policial Wanderson José Saraiva, já que não teria obedecido a ordem de prisão dada pelos policiais e entrado em luta corporal.

Consta no inquérito, que o acusado tentou sacar a arma contra o policial e só não teria realizado os disparos por não ter conseguido manejá-la durante a luta e por ter recebido o suporte de outros policiais que monitoravam a ação. Ele responderá, também, por posse ilegal de arma.

Os policiais militares Élcio Ramos Leite e Wanderson José Saraiva atuavam no setor de inteligência do 24ª Batalhão da Polícia Militar, no Bairro São João Del Rey.

De acordo com as investigações da Polícia Civil, eles foram designados para obter informações sobre a comercialização ilegal de armas de fogo na região do CPA.

E o denunciado Carlos Alberto Oliveira Junior e seu irmão André Luiz Alves de Oliveira estariam usando grupos formados através do aplicativo “WhatsApp” para oferecer à venda uma arma de fogo, tipo revólver, calibre 38, numeração 386944.

No dia 02 de agosto, por volta das 14h, os policiais militares Élcio e Wanderson José, a paisana, marcaram encontro com Carlos Alberto próximo ao terminal do CPA II, se dizendo interessados em adquirir a arma.

Uma operação foi montada para dar suporte aos dois policiais caso o crime fosse constatado e a prisão em flagrante tivesse de ser realizada.

Do terminal, o denunciado seguiu com Elcio e Wanderson até sua residência, onde funciona uma distribuidora de água, no CPA III.

Lá, o policial Wanderson percebeu que Carlos Alberto estava com uma arma na cintura e se recusou a entrar no quintal e na residência. Nesse momento, Carlos Alberto agiu com violência na tentativa de obrigar o policial a entrar, foi quando entraram em luta corporal.

Nesse momento, André Luiz Alves de Oliveira, irmão de Carlos, que estava dentro de casa sacou de um revólver e foi dar apoio ao irmão, apontando a arma para o policial Elcio, o atingindo com um tiro na cabeça.

Ainda de acordo com a denúncia, o crime foi cometido por motivo torpe, “praticado com o fim de impedir a atividade policial que estava sendo regularmente exercida no combate à venda ilegal de armas pelo denunciado e seu irmão.”

Segundo o promotor de Justiça autor da denúncia, Jaime Romaquelli, as investigações referente à morte de André Luiz Alves de Oliveira ainda estão em andamento.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *