LGBT

14ª Parada será 24 de setembro com o tema “Cidadania não é privilégio”

A 14ª edição da Parada da Diversidade Sexual deste ano, acontece no dia 24 de setembro e abordará o tema “Cidadania não é privilégio: vote certo, vote consciente”.

O  movimento objetiva mostrar que o evento também pode ser palco de discussões importantes que envolvem o futuro do país, em uma junção da política e da luta pelos direitos iguais para todos dentro do contexto igualitário que a Constituição assegura.

O lançamento do evento aconteceu na tarde desta quarta-feira (24), na Casa dos Conselhos, em Cuiabá.

Na ocasião, os membros da ONG Liberdade, que também são parte organizadora do evento, falaram sobre o tema  escolhido e da agenda  que antecede o evento.

O secretário-geral da ONG Livremente, Admilson Assunção, explicou que a comunidade almeja que a população se aproxime do assunto. Compreenda que o a comunidade LGBT(Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros).

 é formado por pessoas com os mesmos diretos de todos e que são capazes, de juntos, transformar o Brasil em um país melhor.

“Lutamos não somente, pelos nossos diretos, de um grupo isolado. Lutamos por um Brasil melhor, onde todos possam ser tratados iguais, como está registrado na nossa Constituição. E o começo para que isso acontece é o respeito. Mas para que tenham respeito é preciso que compreendam nossa luta. Observamos que muitos ainda, têm uma compreensão vaga de cidadania. Ela não é regalia. Ela é direito garantido por lei. E temos que tirá-la do papel. Mas não com força. Vamos promover este ano uma festa sim, mas como muito conteúdo, debates. Queremos interagir com a população. Queremos nos unir por mais dignidade em um país tão desigual”, declarou Adilmison.

Ainda segundo o secretário,  todas as ações dos políticos nos diferentes espaços de poder, refletem  diretamente sobre todos.”

As tomadas de decisões dos representantes públicos impactam na vida de cada um, seja classe alta, média, baixa. Seja qual for a opção sexual. É preciso buscar forças para lutarmos contra aqueles que querem nos tirar os poucos direitos que conquistamos ao longo do tempo . É preciso união neste momento político do nosso país. ”, disse.

O evento conta com  uma agenda de atividades que antecedem a tradicional “Caminhada colorida” pelas ruas da capital, no dia 24 de setembro.

Este ano a comunidade organizou o “Seminário Formativo”, que acontece no dia 10 de setembro, no auditório do Sintep, das 8h às 18h.

No mesmo dia será escolhida a Drag da Parada; e durante todo o mês setembro acontecerá rodas de conversas nos 14 Centros de Referências de Assistências Sociais (Cras), de Cuiabá.

“Esses encontros que antecedem a marcha é muito importante para buscarmos esta aproximação que almejamos e também divulgarmos mais nossas lutas. Vamos reivindicar nossos diretos sim, mas com qualidade. Com debates  e exatidão em nossas propostas”, ressaltou  Admilson Assunção.

A transsexual Gina Mota, escolhida Rainha da Parada 2016, lembrou que a maior luta é contra  violência simbólica.

“Doí  à alma quando vamos a algum lugar e somos atendidos de qualquer maneira. Na maioria, sabemos que é por causa da nossa opção sexual. Os ambientes, principalmente os de saúde, não possuem estrutura para nós. Queremos ter políticas públicas voltadas para nosso grupo”, destacou Gina.

Os organizadores esperam um público de 3 mil pessoas na marcha, que terá sua concentração na Praça Ipiranga, às 14h, de onde saem por volta das 15h, direção à praça Oito de Abril, passando pelas avenidas Prainha e Getúlio Vargas. Durante a realização da Parada  as vias serão parcialmente bloqueadas e os agentes de trânsito orientarão os motorista.

“Queremos promover um a festa bonita, com respeito, onde  a população participe conosco, nos ajudando a compor os degraus de mudanças que tanto almejamos,” finalizou Valdomiro Arruda, presidente do Conselho Municipal de Atenção à Diversidade Sexual.

Mais informações pelo telefone (65) 3623-3089.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *