https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/emanuel-pinheiro.jpg

EMANUEL DIZ

“O meio ambiente não continuará pagando pelas más políticas públicas”

O Candidato a prefeito por Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB), recebeu o pedido da Associação das Empresas Locadoras de Equipamentos para a Construção Civil em Cuiabá, a reivindicação é para que haja local apropriado para o destarte, triagem e reciclagem de 100% dos resíduos sólidos de construções coletados e transportados em Bota Fora. Emanuel se comprometeu a buscar soluções para o problema.

O presidente Adir Arantes e os diretores da instituição relataram ao candidato Emanuel, que Cuiabá produz cerca de 500 caçambas diárias desse “lixo reciclável” e que dessas, apenas 120 são recolhidas pela empresa Eco Ambiental – única autorizada a receber estes detritos.

Segundo Adir, a Eco Ambiental venceu o edital para coletar os resíduos classificados em A, B, C e D, entretanto, meses após vencer o edital a empresa obteve da Secretaria de Estado e Meio Ambiente de Mato Grosso – Sema, a certificação para receber apenas a classificação A.

“Justamente os mais danosos ao meio ambiente é que vão parar na natureza, sendo eles:  B – Plásticos, papel, papelão, metais, vidros, madeiras e gesso; C – Eletrônicos e tecnológicos; e classe D – Resíduos perigosos tais como tintas, solventes, óleos reformas de clínicas radiológicas e instalações industriais bem como telhas e materiais que contenham amianto nocivo à saúde. A natureza não nos ofertará matéria prima para sempre. Precisamos de ajuda da prefeitura, para resolvermos este problema”, enfatizou o presidente.

Ciente de que há em andamento um Termo de Ajustamento de Conduta – TAC, Emanuel Pinheiro observou a necessidade de fazer uma análise profunda da situação.

“Encontraremos junto à instituição a melhor maneira de construir a usina, seja com recursos da prefeitura, do governo federal ou com a parceria da iniciativa privada, se eleito for, o meio ambiente não continuará pagando pelas más políticas públicas”.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *