https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2016/09/procuradores.jpg

NOTA OFICIAL

Delegado nega que tenha feito ‘negociação’ com suspeito de matar procuradores em MT

O delegado Gutemberg de Lucena Almeida, responsável pelas investigações das mortes de pai e filho, Saint’Clair Martins Souto e  Saint’Clair Martins Souto Filho, negou, por meio de nota da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso, qualquer tipo de negociação feita com o suspeito do duplo homicídio.

VEJA NOTA NA ÍNTEGRA

Diante das especulações da morte dos procuradores Saint’Clair Martins Souto, e seu filho, Saint’Clair Martins Souto Filho, o delegado da Polícia Judiciária Civil de Vila Rica (1.559 km a Nordeste), Gutemberg de Lucena Almeida, em respeito aos familiares das vítimas e zelando pela preservação da investigação policial, informa que não procede qualquer divulgação oficial a respeito de negociações, prazos, valores, formas de pagamento ou pessoas que possam ter negociado com o suspeito do homicídio, especialmente, envolvendo candidatos às eleições tanto de chapas majoritárias (prefeitos e vice-prefeitos), quanto proporcionais (vereadores).

As vítimas, Saint’Clair Martins Souto, 78, procurador aposentado do Distrito Federal, e seu filho Saint’Clair Martins Souto Filho, 38, procurador do Estado do Rio de Janeiro, foram assassinadas no dia 9 de setembro, na sede da própria fazenda, na zona rural de Vila Rica.  

De acordo com o delegado, qualquer divulgação ou exploração político-eleitoreira sobre fatos investigados sujeitará os respectivos autores às sanções legais.

De forma a preservar as investigações, salvo ocorrência de relevante fato novo, sobre o caso, somente haverá possíveis posicionamentos oficiais após a conclusão das investigações.

O inquérito policial referente ao duplo homicídio e ocultação de cadáver será concluído no prazo legal da prisão temporária (30 dias) do autor, o gerente da fazenda,  José Bonfim Alves Santana.

Ele foi preso no dia 13 de setembro, no município de Colinas do Tocantins (TO), pela Polícia Civil daquele estado, e recambiado para  Vila Rica.

O suspeito segue recolhido em uma unidade prisional da região Araguaia.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *