https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2016/04/martelo-judicial-e1519399181402.jpg

MONSTRUOSIDADE EM MT

Justiça condena a 140 anos de prisão 3 homens que mataram família

Divulgação

Após denúncia efetuada pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da Promotoria de Justiça Criminal de Juína, o Poder Judiciário condenou a mais de 140 anos de prisão três homens acusados de sequestrarem e matarem uma família na região.

Eles cumprirão pena pelos crimes de extorsão, extorsão mediante sequestro com resultado morte e estupro.

A sentença foi proferida pelo juiz de Direito Vagner Dupim Dias. Os réus Jânio de Souza Meirelles e José Carlos Luz Lopes foram condenados a mais de 146 anos de prisão, já Carmo Júlio de Souza teve sua pena estipulada em mais de 140 anos.

O promotor de justiça Dannilo Preti Vieira, parabenizou o Poder Judiciário pela condenação e a Polícia Civil pelas diligências necessárias para prender os criminosos:

“Os fatos ocorridos na antevéspera de natal de 2015 chocou e comoveu toda a sociedade de Juína, que desde então clamava por justiça, tamanha crueldade e brutalidade para com uma família da região.

Diante desse contexto, o Estado, através da Polícia Civil, o Ministério Público e Poder Judiciário agiram com firmeza e celeridade na captura e punição desses criminosos, responsabilizando-os na medida exata pelos torpes delitos perpetrados.”

O crime ocorreu no dia 23 de dezembro de 2015 quando os réus invadiram uma propriedade rural, sequestraram e mataram mãe e dois filhos.

De acordo com a denúncia os assassinos tinham informação que o irmão da vítima L.S.B havia vendido uma fazenda na região e que estaria com muito dinheiro.

Os acusados sequestraram a família com o objetivo de obterem vantagem com o resgate.

Conforme se apurou durante as investigações, um dos assassinos, José Carlos, aproveitou o laço de amizade e intimidade que possuía com as vítimas para dissimular suas ações delituosas, planejando detalhadamente os crimes.

Segundo a acusação, ele fingiu ser rendido pelos comparsas e ser por eles obrigado a ser um intermediário nas negociações relacionadas a quantia em dinheiro exigida pelos sequestradores.

Ao tomar conhecimento que não receberia a quantia de R$ 900 mil exigida a título de resgate, o grupo criminoso além de estuprar G.S.B matou as vítimas.

Os corpos das três vítimas (mãe e dois filhos) foram encontrados pela polícia a 8 km da fazenda da família. O local seria dentro da propriedade rural que pertence a um dos acusados.

De acordo com o Ministério Público o crime só foi descoberto porque o pai das vítimas e marido de L.S.B conseguiu render o assaltante que o estava vigiando e ir até a rodovia onde conseguiu ajuda de uma pessoa que o levou até a polícia.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *