https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2016/09/vereadora.jpeg

DENÚNCIA NO TRE

Candidata denuncia presidente do partido por usar seu nome como “laranja”

A candidata a vereadora por Cuiabá, Izabel Pereira Gama (PHS), protocolou denúncia junto à Ouvidoria Eleitoral nesta terça-feira (27/09) contra a direção do seu partido, sob o argumento de que seu nome foi utilizado indevidamente pela legenda, apenas para preencher a cota de candidaturas de gênero.

vereadoraA candidata também registrou um Boletim de Ocorrências na Polícia Judiciária Civil, no qual aponta uma lista de testemunhas que presenciaram sua discussão com o presidente da legenda.

“Quando cobrei do presidente do partido que eu não tinha um único santinho para a minha campanha, que não tinha recebido nenhum tipo de apoio do partido, ele disse: ‘Vou te falar a verdade. Você quer saber uma coisa? Vocês duas (ela e uma candidata chamada Vilma) só estão aqui porque estava faltando nomes para cumprir a cota de candidaturas de mulheres'”, relatou a candidata, em seu depoimento na Ouvidoria Eleitoral.

Izabel Pereira Gama contou que adquiriu coragem para fazer a denúncia após assistir a uma entrevista na televisão, concedida pela desembargadora Maria Helena Póvoas, presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso.

“Eu já estava me sentindo humilhada pelo partido, por ter sido usada daquela forma. Aí eu vi uma entrevista da presidente do TRE dizendo para as mulheres não deixarem que os partidos usem seus nomes como ‘laranja’. Então eu resolvi procurar a Justiça Eleitoral”, disse.

A desembargadora Maria Helena Póvoas lamentou o ocorrido e conclamou outras mulheres a também procurem a Justiça Eleitoral para denunciar fatos como este. “Infelizmente esta é uma realidade em nosso país.

Muitos partidos políticos usam os nomes das mulheres apenas para cumprir a cota de gênero e depois as abandonam no meio do caminho. Muitas delas são prejudicadas pelo resto de suas vidas, porque deixam de prestar contas à Justiça Eleitoral.

Os partidos não orientam que, mesmo que esta candidata não tenha feito campanha, mesmo que não tenha gasto um único centavo sequer, ainda assim ela deve prestar contas à Justiça Eleitoral, sob pena de nunca mais poder se candidatar e de outras sanções em sua vida civil.

A Ouvidoria Eleitoral está à disposição para receber estas denúncias e encaminhar ao Ministério Público e aos juízes eleitorais, para as providências cabíveis”.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *