https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/lucimar.jpg

INTENÇÃO DE VOTOS

Sem concorrência, Lucimar Campos dispara e ‘fecha’ pleito com 82% em Várzea Grande

Divulgação

Se as eleições fossem hoje, a atual prefeita de Várzea Grande, Lucimar Sacre de Campos (DEM) se reelegeria com uma vitória histórica com 82,27% dos votos válidos (quando não se computam os votos em branco, nulos e indecisos).

Isso é o que mostrou a terceira pesquisa realizada pelo Instituto Gazeta Dados, que entrevistou 600 pessoas entre os dias 22 e 24 de setembro e foi protocolizada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MT) sob o número MT-06055/2016.

Em segundo lugar aparece o Coronel Taborelli (PSC), com 12,65%. Em terceiro está Alan Top Gás (PV), com 5,08% e Milton Dantas, o Miltão (Psol) não pontuou. A margem de erro da pesquisa é de quatro pontos percentuais para mais ou para menos.

Considerando essa margem, Lucimar oscilaria entre 78,27% e 86,27%; Taborelli ficaria entre 8,65% e 16,65%; Alan entre 1,08% e 9,08% e Miltão entre 0 e 4% das intenções de votos.

Estimulada

Na pesquisa estimulada, Lucimar surge com 65% dos votos, Taborelli com 10%, Alan com 4% e Miltão não pontuou. Votos Brancos e nulos representariam 7% e os indecisos são 14%, segundo dados da pesquisa.

Espontânea

Nesta modalidade, na qual não se fala o nome dos candidatos, a candidata do DEM lidera com 58%; seguida por Taborelli com 8%; Alan com 3% e Miltão não pontuou.

Os eleitores que anulariam seu voto ou votariam nulo, caso as eleições fossem hoje, corresponderiam a 6% dos entrevistados e os indecisos representariam 25%.

Rejeição

O candidato mais rejeitado continua sendo o Coronel Taborelli com 26%; seguido por Miltão com 11%; o empresário Alan da Top Gás aparece com 7%.

Não votariam de jeito nenhum na candidata Lucimar apenas 6%. Brancos e nulos representariam 8% e os entrevistados que não quiseram responder 42%.

A confiabilidade das entrevistas é de 95%, isto é, se fossem realizadas 100 pesquisas em 95 delas os resultados estariam iguais a estes, dentro da margem de erro estipulada.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *