FILHOS DE GEPETO

Chefe de Gabinete de deputado preso pelo Gaeco é demitido da ALMT

O servidor Francisvaldo Mendes Pacheco, chefe de gabinete do deputado estadual Romoaldo Júnior (PMDB), foi demitido da Assembleia Legislativa, conforme consta no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (14).

Francisvaldo foi preso na segunda fase da Operação Ventríloquo, denominada Filhos de Gepeto, deflagrada pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado – Gaeco –  no dia 5 de outubro deste mês.

Nesse dia fora cumprido mandado de prisão preventiva e busca e apreensão expedido em desfavor de Francisvaldo Mendes Pacheco.

A operação Ventríloquo foi deflagrada em julho de 2015, onde o ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Geraldo Riva, foi preso, além de um ex-servidor e um advogado.

Em abril deste ano, José Riva admitiu que participou de um esquema de desvio de recursos da Assembleia Legislativa.

A fraude foi descoberta na Operação Ventríloquo onde em torno de pouco mais de R$ 9,3 milhões foram desviados da Assembleia Legislativa para o pagamento de uma dívida junto a um banco privado.

A confissão de Riva foi feita à juíza Selma Rosane Arruda, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá.

A mudança de comportamento de Riva ficou atrelado ao fato dele ter ficado vários meses preso no Centro de Custódia de Cuiabá ao longo de 2015 e este ano.

O advogado que patrocina a defesa de Riva, Rodrigo Mudrovitsch, diz que isso não é uma delação premiada, mas sim a confissão para também se obter benefícios da lei.

No caso da confissão de Riva, ele citou que pelo menos dois deputados estaduais, entre eles, Romoaldo Júnior (PMDB), teriam sido beneficiados com o suposto esquema.

Citado por Riva, Romoaldo Júnior nega ter recebido propina e feito pagamentos ilegais

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *