https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2016/09/CLOVIS.jpg

POLÊMICA NO AR

Fundação contrata mulher de dirigente; Clóvis chama matéria de machista

O site UOL divulgou nesta segunda-feira (17) uma reportagem onde cita que a mulher do presidente do PMDB de Cuiabá, Clóvis Cardoso, recebeu em torno de R$ 30 mil para que ela prestasse serviços de assessoria pedagógica dos cursos à distância oferecidos pela Fundação Ulysses Guimarães – FUG – entidade sob responsabilidade do PMDB.

A reportagem obteve as informações junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a partir de notas fiscais e cheques da prestação de contas do partido, em relação ao ano de 2015.

Segundo UOL, Tania Barteli teria recebido os pagamentos no mesmo ano em que foi exonerada do cargo de superintendente de educação profissional do Estado.

Leia mais aqui.

OUTRO LADO

O presidente do Diretório Municipal do PMDB de Cuiabá, Clóvis Cardoso, em entrevista ao logo-matogrossomais-1, nesta segunda-feira (17),  chamou a reportagem pulicada pelo site UOL de machista.

Cl34195a8dfbe14733fd4bfdaa0c663714óvis, que é casado com Tania Barteli, disse que a esposa não é uma dona de casa, mas sim uma militante do PMDB há mais de 20 anos.

O dirigente comentou que Barteli já ocupou vários cargos na administração pública como diretora do Intermat, em 1995, ocupou cargo de secretária de Turismo na gestão de Chico Galindo (PTB), foi diretora estadual do PMDB, entre outros cargos que ocupou ao longo de duas décadas.

Ele argumentou que a reportagem do UOL não traz nenhuma ilegalidade e nem imoralidade.

VEJA ABAIXO TRECHO DA ENTREVISTA COM CLÓVIS CARDOSO:

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *