ELEIÇÃO EM CUIABÁ

Emanuel mantém liderança e será eleito prefeito de Cuiabá com 58,54%, diz pesquisa

Emanuel Pinheiro, candidato do PMDB, será eleito neste domingo (30) o próximo prefeito de Cuiabá.

É o que aponta a segunda e última rodada de pesquisas de intenção de votos do Instituto Gazeta Dados, que ouviu eleitores da Capital nos dias 28 e 29 de outubro.

Conforme o levantamento, ele deverá atingir 58,54% dos votos válidos, uma confortável vantagem frente a seu oponente, Wilson Santos (PSDB), que alcançará 41,46% da preferência do eleitorado.

A modalidade exclui os índices alcançados pelos votos brancos, nulos e pelos eleitores indecisos e é a mesma usada pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado das eleições. A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Embora seja possível afirmar com certeza a vitória de Emanuel, os percentuais dos dois candidatos poderão ser alterados por conta do número de eleitores que deixarão de votar neste domingo.

Isso porque boa parte dos funcionários públicos estão em meio a um feriado prolongado de 5 dias, iniciado neste sábado (29), e só retornarão ao trabalho na próxima quinta-feira (3), após o Dia de Finados. Mesmo assim, é pouco provável que as abstenções afetem o resultado principal da disputa.

Utilizando a margem de erro da pesquisa, Emanuel deverá ter entre 55,54% dos votos e 61,54%. Já Wilson, pode ir de 38,46% e alcançar, no máximo 44,46% da preferência dos eleitores.

Na modalidade estimulada, aquela em que os entrevistados recebem informações sobre os candidatos que estão na disputa, Emanuel atinge 48% da preferência do eleitor, um crescimento de 4% em relação ao levantamento anterior do Gazeta Dados, realizado entre os dias 14 e 16 de outubro.

Já Wilson oscilou dentro da margem de erro, indo de 33% para 34%. Votos brancos e nulos nesta modalidade somam 12% e eleitores que não sabem ou não quiseram responder são 6%.

Na modalidade espontânea, aquela em que os eleitores dizem sem o auxílio de nenhum cartão o nome do candidato escolhido, o peemedebista cresceu 5 pontos percentuais e chegou a 46%.

Já Wilson se manteve no mesmo patamar, estacionado nos 31%. Votos brancos e nulos somam os mesmos 12% da modalidade estimulada e eleitores indecisos chegam a 11%.

O Gazeta Dados também mediu a rejeição do eleitorado aos dois candidatos que disputam a sucessão do prefeito Mauro Mendes (PSB). Wilson lidera nesta quesito com 44% das indicações dos entrevistados. Já 26% dos eleitores afirmaram que não votariam em Emanuel de jeito nenhum.

Com base nestes números é possível afirmar que, ao longo do segundo turno, o alto índice de rejeição de Wilson “cobrou a conta”.

Ele não conseguiu agregar votos dos eleitores dos candidatos derrotados em primeiro turno, Procurador Mauro (Psol), Julier Sebastião (PDT), Serys Slhessarenko (PRB) e Renato Santtana (REDE). Boa parte destes eleitores votará, neste segundo turno, em Emanuel.

Outro ponto que pesou contra o tucano foi um episódio registrado nas últimas semanas. Embora tenha trabalhado para dissipar o desgaste junto aos servidores públicos estaduais, por conta da Revisão Geral Anual (RGA), a animosidade voltou ao foco depois que Emanuel divulgou um áudio em que o irmão do tucano e ex-presidente da Companhia Matogrossense de Mineração (Metamat), Elias Santos, exigia a presença dos servidores comissionados do órgão em um ato político, sob pena de demissão. Tão logo a gravação foi revelada, Elas perdeu o emprego, exonerado pelo governador Pedro Taques (PSDB).

O Gazeta Dados ouviu 1 mil eleitores, entre os dias 28 e 29 de outubro, fazendo com que a margem de erro da pesquisa seja de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

O levantamento, registrado na Justiça Eleitoral sob o protocolo MT 03694/2016, tem intervalo de confiança 95%, ou seja, se fossem realizadas 100 pesquisas, em 95 delas o resultado seria o mesmo deste levantamento, considerando a margem de erro.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *