OPERAÇÃO RÊMORA

Empresário e ex-servidor alvos do Gaeco completam 180 dias presos

O empresário Giovani Guizardi, dono da Dínamo Construtora, e o ex-assessor especial da Secretaria de Educação de Mato Grosso, Fábio Frigeri, completam nesta quinta-feira (3/11), seis meses preso em decorrência da Operação Rêmora.

Guizardi se encontra preso no  Setor de Operações Especiais (SOE), após ter sido transferido em meados de setembro do Centro de Custódia de Cuiabá (CCC).

Já Frigeri continua preso no Centro de Cuiabá de Cuiabá.

Há uma expectativa de que o ex-assessor especial possa fazer delação premiada e revelar os bastidores do escândalo ocorrido na Seduc, na gestão do ex-secretário de Estado, Permínio Pinto (PSDB), preso desde 20 de julho no CCC.

Permínio é acusado pelo Ministério Público do Estado de ser o líder de uma suposta organização criminosa envolvendo servidores e empresários que atuava em licitações e contratos administrativos de obras públicas de construção e reforma de escolas da Secretaria de Estado de Educação.

No dia 3 de maio, quando ocorreu a primeira fase da Operação Rêmora, realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – Gaeco – cinco pessoas foram presas.

Entre elas: Giovani Guizardi, Fábio Frigeri, Moisés Dias e Wander Luiz, os dois últimos já soltos pela Justiça.

Segundo o Gaeco, as fraudes no caráter competitivo dos processos licitatórios começaram a ocorrer em outubro de 2015 e dizem respeito a, pelo menos, 23 obras de construção e/ou reforma de escolas públicas em diversas cidades do Estado de Mato Grosso, cujo valor total ultrapassa o montante de 56 milhões de reais.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *