https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2016/03/Pedro-Taques-03-e1500912620870.jpg

NOTA PÚBLICA

Taques apoia operação do Gaeco e lamenta participação de políticos em fraude

Divulgação

O Governo de Mato Grosso, por meio de nota pública, divulgada, na noite desta quinta-feira (1), em seu portal de notícias, rebateu as reportagens publicadas na imprensa sobre a delação do empresário Giovani Guizardi, alvo da primeira fase da Operação Rêmora, deflagrada em maio deste ano pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – Gaeco – sobre supostas fraudes ocorridas na Secretaria de Educação do Estado, sob o comando de Permínio Pinto (PSDB), sobre o fato de que o governador Pedro Taques, enquanto candidato ao governo do Estado em 2014, teria recebido R$ 10 milhões do empresário Alan Malouf e que o recurso não teria sido declarado em sua prestação de contas junto à Justiça Eleitoral.

VEJA ÍNTEGRA DA NOTA

Diante das notícias trazidas a público nesta quinta-feira (01.12) pela imprensa sobre suposta “delação” do réu na operação Rêmora, Giovani Belatto Guizardi, o Governo de Mato Grosso esclarece:

01) O governador Pedro Taques tomou as medidas que lhe competiam – quando da deflagração da Operação Rêmora (que apura eventuais crimes contra o patrimônio público na Secretaria de Estado de Educação – Seduc) -, exonerando e/ou afastando todos os servidores públicos denunciados, inclusive o ex-secretário de Educação. Tal medida, por si só, demonstra a firmeza do governador e do Governo no combate à corrupção e na apuração de qualquer denúncia que envolva atos de improbidade no âmbito do Governo do Estado de Mato Grosso;

02) O governador lamenta o envolvimento de seu nome no caso, refuta com veemência qualquer tentativa de envolvê-lo em qualquer ato ilegal, uma vez que jamais tratou com quem quer seja de nenhum assunto relacionado à investigação;

03) Pedro Taques lamenta, ainda, que pessoas do seu convívio pessoal, político ou partidário possam estar envolvidas em malfeitos, e reitera seu entendimento de que ninguém está acima da lei e apoia investigação para que, ao final, comprovados os fatos denunciados, todos os envolvidos sejam punidos com o rigor da lei;

04) O governador reitera o que já disse em outras situações, de que a prestação de contas da sua campanha eleitoral de 2014 foi aprovada sem ressalvas pela Justiça Eleitoral e que, por essa razão, repudia toda e qualquer tentativa de envolvê-lo em qualquer ato ilegal, prática que ele sempre combateu ao longo da sua vida, especialmente nos 15 anos nos quais atuou como Procurador da República.

Cuiabá-MT, 01 de dezembro de 2016.

GCOM – Gabinete de Comunicação do Governo de Mato Grosso

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *