https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2016/12/GUilherme-Maluf-com-Nilson-Leitao.jpg

FRAUDES NA SEDUC

Maluf e Nilson Leitão se defendem sobre acusação do delator da Rêmora

Os deputados Guilherme Maluf (PSDB) e Nilson Leitão (PSDB) divulgaram nota pública em que rebatem as declarações feitas pelo empresário Giovani Guizardi de que os dois parlamentares teriam sido beneficiados em um suposto esquema de propina ocorrido na Secretaria de Educação do Estado na gestão do então secretário Permínio Pinto (PSDB).

Maluf foi acusado pelo delator de ter recebido 25% da propina que girava nos contratos da Seduc.

“Não participou de nenhuma eventual irregularidade cometida na Secretaria de Educação (Seduc).

Tomará as providências cabíveis assim que a sua assessoria jurídica tiver acesso aos autos do processo e teor das denúncias.

Afirma que confia na justiça e que ficará comprovado de que não teve participação em qualquer irregularidade.”

A defesa do ex-secretário de Educação, Permínio Pinto, que está preso no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC) disse que prefere esperar o depoimento em juízo do delator para se pronunciar.

O deputado federal Nilson Leitão (PSDB), acusado por Guizardi de ser responsável pela indicação dos principais servidores públicos que integravam organização criminosa na Seduc para desviar dinheiro em contratos firmados com empreiteiras, se defendeu em nota que segue na íntegra:

“Sobre a citação de Giovanni Guizardi, o deputado federal Nilson Leitão (PSDB) vem a público esclarecer que:

– primeiramente não conhece o delator e nunca teve nenhum contato com ele;

– nunca participou de qualquer reunião com qualquer político, secretário ou qualquer construtora para discutir obras da pasta da Educação;

– a ’dedução’ do delator é no mínimo irresponsável, pois em depoimento ele tem que dizer o que sabe, e não sobre o que deduz ou imagina, como ocorreu;

– na delação não há nenhum tipo de comprovação sobre algum ato ilícito do parlamentar;

– não se especificou de que modo teriam ocorrido os aventados depósitos, o que impede o exercício do contraditório e da ampla defesa;

– mesmo com foro privilegiado, Nilson Leitão coloca o extrato bancário à disposição das autoridades e da sociedade, além de qualquer outra informação que venha colaborar com a justiça e a população;

– em respeito aos mato-grossenses, é importante que sejam investigadas as verdadeiras motivações daqueles que misturam denúncias verdadeiras com afirmações nitidamente falsas, sem nenhum tipo de comprovação, com o claro intuito de tumultuar as investigações”. 

Com Gazeta Digital

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *