https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/09/taques-dois-dois.jpg

FRAUDES NA SEDUC

“Isso é triste, decepciona”, diz Taques sobre delação feita por empresário; OUÇA

SAMSUNG CSC

O governador Pedro Taques (PSDB) comentou na manhã desta sexta-feira (2/12), durante o lançamento de duplicação da Avenida Filinto Muller, em Várzea Grande, o teor da delação premiada feita pelo empresário Giovani Guizardi sobre fraudes ocorridas na Secretaria de Educação do Estado na gestão de Permínio Pinto (PSDB).

Na delação, o empresário citou que agentes políticos do PSDB teriam sido beneficiados com os crimes praticados dentro da Seduc.

O governador disse que ninguém está acima da lei e pediu rigor na investigação. ” Todo político está sujeito isso. Ninguém está acima da lei, nem eu estou acima da lei. O fato é triste e tem de ser investigado”, apontou.

VEJA DECLARAÇÃO DE TAQUES:

O empresário Giovani Guizardi apareceu como um homem-bomba no meio político de Mato Grosso ao revelar a participação de políticos de peso do PSDB do Estado em uma suposta fraude ocorrida dentro da Secretaria de Educação do Estado (Seduc).

Guizardi, que foi preso na primeira fase da Operação Rêmora, deflagrada no dia 3 de maio deste ano, foi solto quarta-feira (30), após a homologação da delação premiada feita junto ao Ministério Público do Estado (MPE).

Entre os agentes políticos citados por Guizardi está o atual presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Guilherme Maluf (PSDB), que viveu na noite desta quarta-feira o lançamento de sua pré-campanha ao Senado Federal, o ex-secretário de Estado de Educação, Permínio Pinto (PSDB), que está preso desde 20 de julho deste ano na segunda fase da Operação Rêmora, e o deputado federal e presidente do PSDB de Mato Grosso, Nilson Leitão.

Em trechos da delação de Guizardi divulgados pela imprensa na tarde desta quinta-feira, a primeira cita que Guilherme Maluf, Permínio Pinto e o empresário Alan Malouf, dono do bufett Leila Malouf, ficam, ao todo, com 75% da propina que era paga com as supostas fraudes na Seduc.

Já os ex-servidores Fábio Frigeri, que continua preso, e Wander Luiz dos Reis cada um com 5%.

Ainda segundo a delação de Giovani Guizardi, o empresário Alan Malouf aparece como uma peça importante na eleição de 2014, quando o governador Pedro Taques (PSDB) foi eleito governador do Estado.

Segundo o empresário, dono da Dínamo Construtora e da Guizardi Júnior, Malouf teria feito uma doação no valor de R$ 10 milhões para campanha de Taques.

Esse valor não teria aparecido nas despesas de campanha do tucano.

Giovani citou que o investimento feito na campanha seria retornado com obras do Estado.

Alan Malouf também teria feito uma outra doação, com valor bem menor, de R$ 300 mil.

O empresário do ramo de alimentação argumentou que fez isso como forma de agrado para não ter dificuldades no relacionamento com o Governo.

Ainda consta na delação que Alan Malouf fez doação também para a campanha de Silval Barbosa (PMDB). O valor teria sido de R$ 1 milhão.

O empresário Giovani Guizardi também citou o nome do presidente do PSDB de Mato Grosso e deputado federal Nilson Leitão.

De acordo com Guizardi, Leitão foi o responsável pela indicação dos ex-servidores Luiz Fernando Rondon e Fábio Frigeri.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *