https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2016/10/alan-malouf.jpg

GRÃO VIZIR

MPE deve oferecer hoje denúncia contra Alan

Divulgação

O Ministério Público do Estado (MPE) – por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – Gaeco – deve encaminhar na tarde desta segunda-feira (19), denúncia contra o empresário Alan Malouf, alvo da terceira fase da Operação Rêmora, denominada Grão Vizir, à juíza da Vara de Combate ao Crime Organizado, Selma Rosane Arruda.

Se a magistrada aceitar a denúncia, Alan Malouf passa a ser réu e responderá pela acusação com outros empresários, ex-servidores e o ex-secretário Perminio Pinto (PSDB)

A informação é do próprio MPE.

A Operação Rêmora investiga suposta fraudes em licitações e contratos da Secretaria de Educação do Estado, durante a gestão do então secretário Perminio Pinto (PSDB).

Alan Malouf se entregou no último dia 14 de dezembro após ter a sua prisão preventiva decretada pela Juíza de Combate ao Crime Organizado, Selma Rosane Arruda.

O empresário foi citado na delação premiada feita por Giovani Guizardi, dono da Dínamo Construtora, como financiador de um suposto caixa dois da campanha do governador Pedro Taques, em 2014.

Malouf teria participado do recebimento de 25% de propina para recuperar o valor investido na campanha.

A prisão de Alan Malouf ocorreu dois dias depois do depoimento bombástico do também empresário Giovani Guizardi, réu da Operação Rêmora.

O advogado de Malouf já ingressou com pedido de liberdade junto à juíza Selma Rosane Arruda.

A defesa questiona a necessidade de se manter o empresário detido e ofereceu bens como garantias para uma fiança e eventual ressarcimento ao erário público.

O empresário Alan Malouf, em notas encaminhadas à imprensa, negou que seja líder da suposta organização criminosa que atuou na Seduc e disse que vai provar sua inocência.

Ele está preso no Setor de Operações Especiais (SOE).

EMPRESÁRIO NÃO DEVE FAZER DELAÇÃO PREMIADA

A assessoria de imprensa do empresário Alan Malouf informou que o empresário não deve fazer delação premiada e que o mesmo sempre esteve à disposição da Justiça desde que seu nome foi citado na Operação Rêmora.

Veja nota na íntegra:

Sobre a operação “Grão Vizir” realizada nesta quarta-feira (14), que teve como alvo o empresário Alan Malouf, esclarecemos que desde o primeiro momento em que seu nome foi citado nas investigações da operação “Rêmora”, o empresário informou às autoridades que estava à disposição para prestar os esclarecimentos devidos.

Assim que tomou conhecimento oficialmente da operação, Alan se apresentou espontaneamente ao juízo da 7ª Vara Criminal e reiterou a disposição de colaborar na elucidação dos fatos.

Ratificamos ainda que não existe nenhum acordo de colaboração premiada sendo elaborado, conforme noticiado pela imprensa.

A defesa do empresário aguarda ter acesso aos autos para tomar as medidas cabíveis e entrar com o pedido de liberdade.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *