https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2017/01/justino-malheiros-2.jpg

NOVO PRESIDENTE

“Câmara não será subserviente ao Alencastro”, diz Justino Malheiros

Divulgação

O novo presidente da Câmara de Cuiabá, Justino Malheiros (PV), negou em entrevista à uma rádio de Cuiabá, na manhã desta terça-feira (3), que o prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB) tivesse feito alguma interferência na eleição da Mesa Diretora do Poder Legislativo.

Segundo Malheiros, a eleição da nova presidência da Casa de Leis ocorreu em conversa com os vereadores.

Ele comentou também que a Câmara, diferente do que foi a Legislatura passada, não será ‘subserviente’ ao Palácio Alencastro.

“Nós vamos trabalhar com independência e votar os projetos que são bons para Cuiabá”, alertou Malheiros.

Malheiro venceu a disputa da Mesa Diretora em chapa única no último domingo (1), dia da posse dos 25 vereadores.

Além dele, compõe a Mesa Diretora os vereadores Renivaldo Nascimento (PSDB), como primeiro vice-presidente, Diego Guimarães (PP) como segundo vice-presidente, Dilemário Alencar (PROS) como primeiro secretário, e o vereador Marcelo Bussiki (PSB) como segundo secretário.

Filho do ex-deputado estadual João Malheiros, Justino ficou em 20º lugar dos 25 vereadores eleitos e só conseguiu entrar por causa do coeficiente eleitoral.

Ele obteve 2.917 votos, ficando em terceiro lugar dentro do PV, atrás de Mário Nadaf, com 3.117 votos, Felipe Wellaton, com 3.054, e na frente do delegado Marcos Veloso, que teve 2.746 votos.

Justino Malheiros vai administrar em torno de R$ 30 milhões ano que vem.

O gasto com pessoal é o que mais consome o orçamento.

Justino Malheiro terá a missão de mudar a imagem do Poder Legislativo conhecido popularmente como ‘Casa dos Horrores’.

Veja Mais

Um comentário em ““Câmara não será subserviente ao Alencastro”, diz Justino Malheiros”

  1. Careca. disse:

    Acho q vai continuar a casa dos horrores de sempre, por ex. como q o cara com menos de 3 mil votos assume a presidencia da camara, explique por favor.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *