https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2016/06/cadeia-e1520024193222.jpg

SITUAÇÃO DE ALERTA

Juiz diz que sistema prisional de Mato Grosso está em ‘risco’; ouça áudio

Divulgação

O juiz auxiliar da Vara de Execuções Penais de Mato Grosso, Bruno D’Oliveira Marques, em entrevista à rádio CBN, esta semana, revelou o caos que está o sistema penitenciário do Estado.

“A situação é crítica e sem dúvidas existem riscos. Nós temos vistos inúmeros e seguidos homicídios que têm ocorrido dentro do sistema penitenciário”, revelou ao ser questionado se o que aconteceu no presídio Anísio Jobim, no Amazonas, poderia se repetir por aqui.

O magistrado comentou que o Governo de Mato Grosso vem tentando desarticular os chefes de facções no Estado ao colocá-los em presídios diferentes, mas Bruno observou que isso ainda não seria suficiente.

“É um estado de coisas que vem se acumulando há muitos anos, o Estado não dá prioridade ao sistema penitenciário e nós chegamos nessa situação”, alertou.

O juiz disse que o Poder Judiciário não administra o sistema penitenciário e que somente faz fiscalizações e interdições, e apontou para um caso que ele considera ‘surreal’.

“Até a interdição não é mais cumprida, porque o Estado não tem mais aonde colocar os presos. A Penitenciária Central do Estado está há mais de dois anos interditada. Doutor Geraldo Fidelis proibiu a entrada de presos quando o número chegasse a 2.100. Veja você que o número de vagas são 800 presos e nós hoje estamos com 2.400”, relatou.

O juiz diz que esta situação de superlotação se repete também em outras unidades prisionais do Estado.

Ele alegou que já conversou com o Estado sobre o assunto, em dezembro do ano passado, e o Governo colocou que o problema da superlotação nos presídios seria provocado pela lentidão do Judiciário.

“Quando a gente dialoga com a Secretaria de Justiça, eles falam em substância três coisas: a primeira delas que o número de prisão provisória no Estado é muito alto, ou seja, implicitamente estão dizendo que o Judiciário não faz sua parte. Segundo, eles dizem que a maior Penitenciária do Estado vai ser inaugurada agora em 2017. Terceiro, implantaram a tornozeleira eletrônica”, apontou.

OUÇA A ENTREVISTA COMPLETA ABAIXO:

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *