https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2017/01/sr3.jpg

EFEITO ARARATH

Juiz afasta conselheiro do Tribunal de Contas e bloqueia bens de Maggi

O conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Sérgio Ricardo de Almeida, foi afastado de suas funções em decisão do juiz da Vara Especializada Ação Civil Pública e Ação Popular, Luís Aparecido Bertolucci Júnior.

A decisão do magistrado consta de denúncia feita pelo Ministério Público do Estado (MPE) em decorrência da Operação Ararath. A decisão foi dada nesta segunda-feira (90.

Bertolucci determinou também a indisponibilidade de bens de Sérgio e dos demais réus, são eles: Alencar Soares Filho, o ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP), o ex-secretário de Fazenda, Eder de Moraes Dias, o delator da Ararath, Gércio Marcelino Mendonça Júnior, conhecido por Júnior Mendonça, o conselheiro aposentado Humberto Bosaipo, o ex-presidente da Assembleia Legislativa, José Riva, e o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) até o limite de R$ 4 milhões.

Na ação civil pública, o MPE apontou que o conselheiro Sérgio Ricardo teria, supostamente, comprado a vaga do então conselheiro Alencar Soares com a utilização de recursos obtidos de forma ilícita.

O suposto esquema

A suspeita sobre a negociação da vaga surgiu após depoimentos do empresário Júnior Mendonça, em delação premiada, e do ex-secretário Éder Moraes.

Mendonça contou que o suposto esquema teria sido iniciado em 2008, quando Sérgio Ricardo ainda ocupava o cargo de deputado estadual pelo PR e era presidente da Assembleia Legislativa.

Consta na ação que o atual conselheiro, com a ajuda do ex-deputado José Riva, resolveu utilizar o um suposto“esquema” de Júnior Mendonça e o montado no Bic Banco para levantar recursos e assegurar a compra da cadeira até então ocupada por Alencar Soares.

Durante a delação premiada, Júnior Mendonça afirmou que, em 2009, o então governador Blairo Maggi (PR), obteve dele, por meio de Éder Moraes, R$ 4 milhões para pagar o então conselheiro Alencar Soares.

Alencar Soares teria recebido o dinheiro das mãos de Júnior Mendonça, para que pudesse devolver a Sérgio Ricardo os R$ 4 milhões anteriormente dele recebidos – e, alegadamente, já gastos.

Segundo a ação, apesar da negociação ter ocorrido anos antes, a liberação da vaga acertada com Alencar Soares ocorreu apenas em 2012, “depois da devolução e após a quitação dos valores acertados”. Com informações de Ponto na Curva – Antonielle Costa

Veja Mais

5 comentários em “Juiz afasta conselheiro do Tribunal de Contas e bloqueia bens de Maggi”

  1. Essas manobras é pra desviar atenção do povo ai faz o que quer, parabéns a esses Magistrados por não se deixar corromper nessa sujeirada toda, se investigar a fundo não salva um

  2. Luis Atayde disse:

    Seu comentário possui palavras ofensivas. Por favor, refaça!

  3. Luis Atayde disse:

    Seu comentário possui palavras ofensivas. Por favor, refaça!

  4. Luis Atayde disse:

    Seu comentário possui palavras ofensivas. Por favor, refaça!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *