https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2017/01/66e5f0781d2ef66616d4a4d4d5935823.jpg

VÁRZEA GRANDE

Contas de água sobem 7% a partir de fevereiro

A prefeitura de Várzea Grande, através de decreto, confirmou nesta terça-feira (17) o reajuste de 7% na tarifa de água.

O Departamento de Água e Esgoto (DAE) alegou que os valores dos insumos, como produtos químicos e energia elétrica, que são essenciais no tratamento de água e esgoto, aumentaram, sendo as perdas inflacionárias de 2016, o principal motivo do reajuste na conta de água.

O decreto com a correção do valor aplicados nas contas de água e esgoto será publicado no Diário Oficial Eletrônico dos Municípios de Mato Grosso- AMM que circula amanhã, 18, e trás o percentual de 7,19%.

O presidente do DAE/VG, Ricardo Azevedo Araújo, lembrou que somente de conta de energia elétrica para bombeamento da água captada para ser tratada e depois distribuída são mais de R$ 1 milhão por mês ou R$ 12 milhões por ano e com uma expectativa de pelo menos dois novos aumentos ao longo de 2017 nas contas de energia elétrica.

“Todas nossas despesas aumentaram consideravelmente acima da inflação e para fazer frente aos mais de R$ 4 milhões previstos para serem investidos em Várzea Grande neste ano na questão da água e do esgoto se faz necessária à reposição da inflação de 2016. Não estamos tendo aumento, apenas amenizando as perdas do órgão que está se mantendo superavitário, mas sem condições de emplacar recursos para investimentos”, disse o presidente do DAE/VG.

O decreto aponta que a inflação medida pelo Índice Geral de Preços Mercado – IGPM, medido pela Fundação Getúlio Vargas, foi no período de 7,19%, o incremento da conta de energia elétrica, 9,11%, enquanto que o aumento do combustível foi da ordem de 9,77%, estando, portanto, acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) que foi de 6,98% de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE.

Além dos R$ 4 milhões em investimentos com recursos próprios, Várzea Grande tem outros R$ 85 milhões previstos no PAC para água e R$ 83 milhões para esgoto sanitário.

“Temos deficiências que somente serão vencidas com investimentos que precisam de recursos advindos da prestação de serviços que o DAE/VG presta para a população da cidade ou através de recursos federais, empréstimos ou mesmo emendas parlamentares”, disse o presidente do órgão, Ricardo Azevedo Araújo.

Ele lembrou ainda que os investimentos para 2017 do DAE/VG são para ampliação da rede de distribuição de água, da rede de esgotamento sanitário e principalmente para se combater perdas e ligação clandestinas que são responsáveis por quase 50% da perda de tudo que é captado, tratado e distribuído pela entidade.

Ricardo Araújo apontou que a tarifa mínima de consumo em Várzea Grande que era de R$ 1,96 para cada mil litros de água fornecidos (um real e noventa e seis centavos) e será elevado para R$ 2,10 (dois reais e dez centavos) por mil litros de água fornecidos.

“Para se ter uma dimensão, 45% das contas de água em Várzea Grande estão na tarifa mínima, ou seja, eram em dezembro de R$ 19,65 por dez mil litros fornecidos e passarão para R$ 21,00 por dez mil litros fornecidos pelo DAE para seus consumidores”, explicou o presidente reconhecendo a necessidade das reposição das perdas.

O presidente do DAE/VG lembrou que mesmo com a referida correção das perdas inflacionárias, a tarifa praticada pelo órgão estão entre os menores de Mato Grosso e do Centro Oeste. Com informações da Prefeitura de Várzea Grande

Foto: DAE-MT

ANDERSON ZANOTTO – Sob supervisão do Editor.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *