https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2017/02/comercio-01-12.jpg

FAMÍLIAS CUIABANAS

Pesquisa da Fecoméricio/MT aponta queda no consumo em fevereiro

Reprodução

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgou nesta quinta-feira, (16/02) os últimos dados da pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) e a Fecomércio-MT mostra que as famílias cuiabanas estão menos propensas a gastar em fevereiro.

A instabilidade econômica brasileira refletiu também no aumento no número de lojas do comércio que fecharam as portas no último ano, chegando a 108,7 mil estabelecimentos em todo o país, sendo mais de 3,3 mil somente em Mato Grosso.

Na capital do Estado, a Intenção de Consumo das Famílias caiu quase dois pontos este mês, em relação ao mês de janeiro.

Foi de 77,7 para 75,9 pontos. A CNC lembra que abaixo dos 100 pontos, o resultado indica percepção de insatisfação com as condições correntes, enquanto que acima de 100 até 200 (pico) indica o grau de satisfação.

Famílias que ganham acima de 10 s.m estão otimistas

Apesar dos resultados negativos, a ICF para aquelas famílias que recebem acima de 10 salários mínimos (s.m.), voltou a ultrapassar a margem de 100 pontos, chegando a 104,3 neste mês contra 93,9 pontos em janeiro. Um aumento de 11,1% em relação ao mês anterior. 

Emprego – Mais otimismo 

Dos subitens medidos pela pesquisa, sobre a perspectiva da situação atual do emprego, o índice mostra aumento de 5,4% em relação ao mês passado, chegando a 108,7 pontos em fevereiro.

Se comparar ao mesmo período de 2016, o índice também apresenta aumento de 1,6%, quando na época atingiu 106,9 pontos.

Expectativa para o futuro 

Das famílias analisadas pela pesquisa, o subitem que mede a perspectiva de consumo para os próximos meses, esse foi o que apresentou o resultado mais negativo, com queda de 10,6% de janeiro a fevereiro, saindo de 63,7 pontos em janeiro para 56,9 pontos em fevereiro.

Esse subitem mostra um certo pessimismo dos cuiabanos quanto à economia do país no decorrer do ano.

Já para o consumo atual, a ICF também apresentou resultados negativos na variação mensal e anual, quedas de 1,4% e 11,2%, respectivamente.

O superintendente da Fecomércio-MT, Evaldo Silva, explica que o momento tem sido delicado economicamente e que nesse ano já podemos ver ações do governo que visam incentivar o consumo.

“As pesquisas da CNC mostram que o ano de 2016 foi pior que 2015, com fechamento de mais lojas, por exemplo. Entretanto, temos visto ações governamentais que buscam incentivar o consumo das famílias. O saque do FGTS das contas inativas, por exemplo, pode contribuir para melhorar o otimismo dos consumidores, e os empresários de Cuiabá devem aproveitar para lançar campanhas e atrair o cliente para as lojas”.

Foto: Circuito MT

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *