DESVIOS DE R$ 60 MI NA AL

José Riva e empresário fazem novos depoimentos na Vara de Combate ao Crime Organizado

Atendendo a um pedido feito pela defesa do ex-presidente da Assembleia Legislativa, a Justiça deferiu e o ex-deputado estadual José Geraldo Riva vai ser ouvido em novo interrogatório em decorrência da ação penal originária da Operação Imperador, realizada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – Gaeco – em fevereiro de 2015, aonde investigou supostos desvios de recursos públicos na Casa de Leis de 2003 a 2009, período em que o ex-parlamentar esteve no comando da Mesa Diretora da Casa de Leis.

O ex-presidente da Assembleia Legislativa, que passou a colaborar com a Justiça, deve revelar nomes de pessoas que também podem ter sido beneficiadas com o suposto esquema ocorrido na ALMT.

Em seu pedido à Justiça, Riva solicitou a realização de perícia em assinaturas de contratos alegando que alguns podem ter sido falsificados.

Ele também pede a inquirição de uma testemunha, ao argumento de que ela foi secretária de Edemar Nestor Adams, já falecido e ex-servidor da ALMT, e apontada pela viúva de Adams, de que poderia fornecer informações detalhadas sobre os fatos narrados na denúncia.

O ex-presidente da ALMT também solicitou o acesso aos vídeos da colaboração premiada do empresário Elias Abrão Nassarden Junior, sob pena de cerceamento de defesa e do seu reinterrogatório, haja vista a colaboração premiada de Elias Abrão Nassarden e o pleno interesse do acusado em efetivamente colaborar com o deslinde da persecução penal.

A testemunha apontada por Riva vai ser ouvida.

O ex-deputado, porém, teve o pedido de perícia negado.

A Justiça também mandou notificar o MPE para saber se os promotores quando ouviram o empresário em delação premiada, se o depoimento foi feito por áudio e vídeo.

A Justiça também deferiu o pedido feito pela defesa de Riva para que ele tenha acesso ao depoimento do empresário da delação premiada.

O empresário Elias Abrão Nassarden também deve ser intimidado para comparecer à audiência seja ouvido em decorrência das denúncias feitas durante a fase de colaboração premiada originária da Operação Imperador,

A oitiva está marcada para o dia 28 de março, às 13h30. A decisão é datada de 26 de janeiro de 2017, segundo consta no Diário Eletrônico da Justiça. A intimação do empresário e do ex-deputado é determinada pela Justiça no dia 24 de fevereiro.

Elias Abrão Nassarden é réu na ação penal e delator do suposto esquema.

O pedido para ouvir o empresário é do Ministério Público do Estado, e foi deferido pela Justiça.

O seu depoimento será dado na presença de José Riva.

Riva chegou a ser preso em fevereiro de 2015 acusado de liderar um suposto esquema de desvio de dinheiro da Assembleia Legislativa em contratos envolvendo empresas do ramo de papelaria, todas seriam de ‘fachada’. O rombo, segundo o MPE, seria de R$ 60 milhões.

Além do ex-deputado, servidores e empresários também foram alvos da Operação Imperador.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *