https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2015/12/CARRO.jpg

CONTRA INDÚSTRIA DA MULTA

Vereador avalia que monitoramento em Cuiabá precisa ser eficaz

Gcom

Vistas e movimentos de Cuiabá

A polêmica quanto a possibilidade da aplicação de multas, por meio do videomonitoramento em Cuiabá, ideia suspensa por 120 dias pelo prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), foi assunto decorrente nos debates na Câmara de Vereadores.

Na avaliação do vereador Marcos Veloso (PV), os mecanismos de monitoramento precisam de adequações para se tornarem eficazes.

Ele ressaltou que é necessária a existência de sanção penal imposta pelo Poder Público as transgressões as Leis de trânsito, mas enfatizou: “Sou contra a indústria da multa”.

O parlamentar disse que a questão do trânsito em Cuiabá precisa ser revista. “Temos que encarar essa situação de frente, que discutir o processo de educação de trânsito e formação de nossos condutores. Estamos falando de multa, mas falar em trânsito, não é só multa, também é falar em vida e precisamos salvar vidas”, destacou.

O vereador analisou como indispensável a adequação do sistema de monitoramento e vigilância, exemplificando que existem semáforos sem temporizador.

“Somente câmeras e radares instalados não irão resolver o problema do trânsito, se somente os equipamentos eletrônicos resolvessem os problemas, não ocorreriam delitos em ambientes monitorados, ou seja, nenhuma resistência com tal dispositivo seria violada”, concluindo ser imprescindível a presença do agente de trânsito no local.

Ele pontuou que no cenário nacional existe um grave problema, centrado na educação e consequentemente na sensação de impunidade, “Hoje se comete uma transgressão, porque se tem a certeza de que não será punido de imediato, há recursos para tudo, nós temos que analisar também o processo de formação dos condutores de veículos, qual é o nível do nosso condutor”, apontou Marcos Veloso.

O parlamentar sugeriu o debate quanto a possibilidade de penas alternativas, como forma de reforçar o processo de reeducação dos condutores infratores. “Poderíamos pensar em penas alternativas, onde um cidadão ao transgredir a legislação de trânsito, poderia optar entre efetivar o pagamento de uma multa pecuniária ou cumprir uma pena alternativa, por exemplo: serviço comunitário e isso já é realizado nas sentenças dos Juizados Especial Criminal”.

Marcos Veloso, contudo ressalta que a conscientização dos condutores é o método mais eficaz para o melhoramento do trânsito.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *