https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/07/174a94316657e711706c1dc6ee9747c9.png

ABUSADO PELO 'AVÔ'

Menino de 7 anos faz reconstrução do ânus e é infectado com sífilis e cancro mole após estupro

Chico Ferreira

Após passar por cirurgia de reconstrução do ânus, o menino, de 7 anos, que foi abusado pelo namorado da avó, foi diagnosticado com sífilis e cancro mole.

As contaminações foram confirmadas por laudo médico.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito, identificado como Francisco Raimundo Holanda, de 55 anos, teria iniciado os estupros em janeiro deste ano, mas só foi denunciado à polícia em junho, quando a criança precisou ser internada no Pronto-Socorro de Cuiabá para passar por processo cirúrgico, causado pela brutalidade das relações sexuais.

Conforme noticiou o Mato Grosso Mais, ao ser preso, na tarde de segunda-feira (29), Francisco reagiu violentamente e negou o crime.

Em depoimento à polícia, familiares contaram que o acusado andava pelado pela casa do menino. A mãe da vítima explicou que precisou deixar o menino com o homem algumas vezes para trabalhar.

Ao ser ouvido pela equipe multidisciplinar da Delegacia Especializada Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica), a criança confirmou que teria sido abusado pelo ‘avô’.

“O meu avô colocou o piu-piu no meu bumbum”, revelando que os abusos aconteciam no banheiro da casa. Disse ainda que tinha medo dele e que sentia muita tristeza.

Outras vítimas 

As duas filhas da companheira de Francisco, uma, de 30 anos [mãe do menino] e outra, de 41 anos, registraram boletim de ocorrência na Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, confessando o assédio sexual praticado pelo padrasto, quando ambas ainda eram menores de idade, entre 9 e 10 anos.

Uma delas contou que as duas eram sondadas por ele quando iam tomar banho e dormiam de calças compridas, pois, várias vezes, acordaram com ele apalpando parte de seus corpos.

As duas mulheres revelaram que eram xingadas pelo suspeito e ameaçadas de agressão física.  Essa denúncia também foi realizada em junho, logo após a denúncia na Deddica, e teve procedimento policial instaurado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 31 de julho de 2019 às 14:45:17
  • 31 de julho de 2019 às 09:50:57