https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/08/persio_oliveira_landim_4_b.jpg

PÉRSIO LANDIM

Agro brasileiro: a paixão dos gringos

Divulgação

Em meio a uma série de tentativas de destruição de reputação, regada por uma onda de fake news e distorção dos números, o Brasil segue em seu auge histórico de acordos importantes com o restante do globo.

Após o acordo com a União Europeia, o Mercosul, liderado pelo presidente Jair Bolsonaro também firmou parceria com a Associação Europeia de Livre Comércio (EFTA), bloco integrado por Suíça, Noruega, Islândia e Liechtenstein. As negociações entre os dois blocos foram finalizadas após dez rodadas.

O agronegócio brasileiro será beneficiado com importantes parcerias, com um PIB de US$ 1,1 trilhão e uma população de 14,3 milhões de pessoas, a EFTA é o nono maior ator no comércio mundial de bens e o quinto maior no comércio de serviços.

Com outros 29 acordos comerciais já firmados, os quatro países do bloco estão entre os maiores PIB per capita do mundo e confirmam mercado consumidor de grande relevância global.

De acordo com dados do Ministério da Agricultura, o pacto ampliará o mercado para produtos e serviços brasileiros, promoverá incremento de competitividade da economia nacional, ao reduzir custos produtivos e garantir acesso a insumos de elevado teor tecnológico com preços mais baixos.

Os consumidores serão beneficiados com acesso a maior variedade de produtos a preços competitivos.

Vale ressaltar que com a entrada em vigor do acordo, o Brasil contará com a eliminação imediata, pelos países da EFTA, das tarifas aplicadas à importação de 100% do universo industrial, além do acesso preferencial para os principais produtos agrícolas exportados pelo Brasil, com a concessão de acesso livre de tarifas, ou por meio de quotas e outros tipos de concessões parciais.

Serão abertas novas oportunidades comerciais para: farelo de soja, milho, carne bovina, carne de frango, melaço de cana, mel, café torrado, frutas e sucos de frutas.

Quando assumiu a presidência do Mercosul, Bolsonaro destacou que com a retomada do crescimento econômico e a liderança do Brasil, o século XXI tem tudo para ser o Século da América do Sul. “Vamos mudar os rumos da nossa história”, enfatizou.

Mesmo com uma orquestrada ação para desestabilizar o governo e enfraquecer agendas do agro, o país acumula vitórias em tempo recorde de parceiros econômicos e amplia o leque para produção.

Os novos compromissos assumidos permitirão, por exemplo, maior agilidade e redução de custos dos trâmites de importação, exportação e trânsito de bens, além de contribuir para a maior integração da economia brasileira às cadeias de valor bilaterais, regionais e globais.

Projeções para novos acordo mostram a robustez do agro brasileiro e o crédito dos outros países com o profissionalismo e qualidade dos produtos com selo Made in Brazil.

Todo cenário positivo é sem dúvida mérito também dos produtores rurais, empresários do campo que abastecem o mundo com produtos de credibilidade inquestionável.

Fonte: Pérsio Oliveira Landim, advogado, especialista em Direito Agrário, especialista em Gestão do Agronegócio, presidente da 4ª Subseção da OAB – Diamantino (MT)

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *