https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/08/WhatsApp-Image-2019-08-30-at-14.48.41.jpeg

SEIS DEMITIDOS

Emanuel quer punição severa para servidores envolvidos em sumiço de medicamentos

Mato Grosso Mais / Leonardo Mauro

Seis funcionários do pronto-socorro de Cuiabá, que são investigados por desvios de insumos, já foram demitidos pela Prefeitura.

Para o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), todos suspeitos têm que ser identificados e severamente punidos, se houver mais envolvidos nesse escândalo.

“Eu não quero injustiça, mas os responsáveis têm que ser identificados e serem severamente punidos até para servir de exemplo, dentro do devido processo legal, respeitando o contraditório e ampla defesa”, disse o prefeito.

Conforme o secretário de Saúde, Luiz Antônio Pôssas, os servidores foram exonerados e poderão responder criminalmente pelos desvios, a depender do resultado do Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD), na Secretaria de Saúde.

Emanuel disse ainda que, as reclamações e denúncias de falta de medicamento e insumos diminuíram muito. O controle e o acompanhamento dos serviços acabaram incomodando muita gente.

“Nós estamos em cima, não estamos brincando, é isso que está incomodando os nossos adversários, estamos incomodando aqueles que querem, o quanto pior, melhor. Meu compromisso é com a população, só olho para frente, para cima e para o auto pensando na população cuiabana”, finalizou Pinheiro.

Toda a investigação ainda corre em segredo de justiça.

O caso 

O secretário de Saúde de Cuiabá, Luiz Antônio Possas de Carvalho, revelou, em entrevista ao Bom Dia MT, na última segunda-feira (26), que foi obrigado a colocar “Polícia” dentro do pronto-socorro da Capital para evitar o sumiço de medicamentos e materiais de insumos.

“Há 60 dias diziam que faltava medicamento no pronto-socorro. A partir do momento que botou polícia lá dentro acabou falta de medicamento. Agora estamos entregando 30% a menos medicamentos e insumos que precisavam no pronto-socorro, que diziam tanto que faltavam”.

De acordo com Possas, a Secretaria de Saúde já abriu seis investigações – Processo Administrativo Disciplinar – para poder apurar as responsabilidades e os desvios dos medicamentos e insumos. O chefe da pasta admitiu que servidores do próprio pronto-socorro são suspeitos de cometer os desvios.

Veja Mais

Um comentário em “Emanuel quer punição para envolvidos em sumiço de remédio”

  1. WILSON SANTOS disse:

    BOM DIA.

    CONCORRÊNCIA NÃO|

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 2 de setembro de 2019 às 14:05:03
  • 2 de setembro de 2019 às 14:03:04