INCENTIVOS FISCAIS

Manobra na Assembleia Legislativa faz imprensa ser impedida de acompanhar depoimento de doleiro

Uma decisão de última hora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso impediu a imprensa de acompanhar o depoimento do doleiro da Lava Jato, Lúcio Bolonha Funaro, à Comissão Parlamentar Interna (CPI) da Renúncia e Sonegação Fiscal, na tarde desta quinta-feira (19), na Assembleia Legislativa.

Antes de decidir se a sessão seria conduzida de forma secreta, o deputado estadual Wilson Santos (PSDB), presidente da CPI, fez uma votação e por 3 votos a 1, os membros decidiram impedir os jornalistas de acompanharem o depoimento. Wilson Santos foi o voto contrário.

O motivo de transformar a sessão sob sigilo seria para garantir a segurança jurídica do depoimento de Funaro. O pedido teria partido da Procuradoria da Casa de Leis.

O depoimento vai ser realizado no auditório Milton Figueiredo, na própria ALMT, somente com a presença de deputados.

Funaro veio a Mato Grosso para prestar esclarecimentos em relação a fraudes em ICMS no Estado, reveladas por ele durante a CPI do BNDES na Câmara dos Deputados.

De acordo com as declarações do doleiro, a fraude no tributo em Mato Grosso estaria vinculada ao pagamento de propina a agentes políticos para favorecimento de um empresário de Várzea Grande. Este seria o suposto responsável pelas articulações que favoreceram o Grupo J&F.

A vinda de Funaro ao Estado se deu após a aprovação de um requerimento de autoria do presidente da comissão, deputado estadual Wilson Santos (PSDB).

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 19 de setembro de 2019 às 21:41:03