https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/09/WhatsApp-Image-2019-09-20-at-16.40.53.jpeg

CÂMARA DE CUIABÁ

Desembargadora atende pedido de Misael e manda suspender a CPI contra Emanuel

Matheus Mendes

desembargadora Helena Maria Bezerra Ramos, do Tribunal de Justiça, suspendeu a decisão que obrigou o presidente da Câmara de Cuiabá, vereador Misael Galvão (sem partido), a retomar a CPI contra o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) com uma nova composição.

A decisão é desta terça (15) e atende a pedido do próprio vereador que recorreu da determinação do juiz Wladys Roberto Freire do Amaral, da 4ª Vara Especializada de Fazenda Pública. A investigação fica suspensa até que o mérito da apelação seja julgado pelo TJ.

A decisão de primeira instância determinando a retomada da CPI foi proferida no fim de agosto. O juiz afirmou que os membros da CPI deveriam ser escolhidos dentre os nove vereadores subscritores do requerimento original.

Após recorrer, Misael, no entanto, foi obrigado a definir novos membros, por meio de votação no Colégio de Líderes.

Toninho de Souza (PSD) assumiu o lugar do então relator Adevair Cabral (PSDB), e Sargento Joelson (PSC) ficou como membro, no lugar de Mário Nadaf (PV).

No recurso, o presidente ressalta o afastamento de dois vereadores – Elizeu Nascimento (DV), que renunciou), e Gilberto Figueiredo (PSB), afastado – que subscreveram o requerimento como motivo para não retomar os trabalhos.

Ao atender o pedido de Misael, a desembargadora apontou os riscos que o cumprimento imediato da decisão do mandado de segurança atendido por Wladys Amaral poderia trazer à Câmara de Cuiabá, já que o caso também é discutido em segunda instância. Por isso, a determinação de suspensão da investigação, até que a questão seja totalmente discutida.

“Tendo em vista que a situação abarca a atuação dos PoderesLegislativo e Executivo Municipais e que a execução imediata da sentença pode trazer risco dedano grave ou de difícil reparação, restou demonstrado que a concessão do efeito suspensivo aoApelo é medida que se impõe”, afirma a magistrada.

Conhecida como CPI do Paletó, a comissão pretende investigar o suposto recebimento de propina de Emanuel enquanto deputado e também uma suposta tentativa de obstrução das investigações por parte do prefeito com a ajuda do ex-secretário de Estado Alan Zanatta.

Após a definição dos novos membros, a CPI chegou a se reunir na segunda (14), quando definiram por novas oitivas do ex-governador Silval Barbosa, de seu ex-chefe de gabinete Silvio Corrêa, do ex-secretário de Estado Alan Zanatta, e também do servidor Valdecir Cardoso. Os atos também ficam suspensos.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 17 de outubro de 2019 às 10:06:35