https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/10/9159818005_54ea602f1b_b-785x466.jpg

CRÉDITO PODRE

Juiz marca audiência para ouvir investigados em sonegação milionária em MT

Ilustrativa

O juiz Jorge Luiz Tadeu Rodrigues, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, marcou para os meses de novembro e dezembro audiência de instrução e julgamento de réus em decorrência da Operação Crédito Podre, deflagrada pela Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz) contra empresários, contadores, comerciantes e corretores acusados de fraudar a exportação de commodities, como milho, algodão, feijão, soja, arroz, sorgo, girassol, entre outros com o objetivo de sonegar impostos.

Apura-se que a organização criminosa tenha sonegado mais de R$ 140 milhões em Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

O suposto líder do esquema, Wagner Florêncio Pimentel, fez colaboração premiada, mas acabou sendo morto em fevereiro deste ano, no bairro Jardim das Américas, em Cuiabá.

De acordo com a publicação no Diário Eletrônico da Justiça, desta quarta-feira (16), as audiências começam a ser realizadas a partir de novembro e vão até dezembro. Em novembro, elas serão realizadas nos dias 4, 11 e 13.

Em dezembro, elas serão realizadas nos dias 2, 4 e 6.

Ao todo, serão ouvidos 16 réus do caso, entre eles, a esposa de Wagner Florêncio Pimentel, Keila Costa de Paula, que será ouvida no dia 2 de dezembro, às 14 horas.

CPI da Sonegação Fiscal

A morte de Wagner Florêncio Pimentel chamou a atenção da  Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que investiga a suspeita de sonegação de impostos e renúncias fiscais indevidas em MT.

A CPI já solicitou informações sobre o assassinato do empresário, que era acusado de ser um dos líderes do suposto esquema de sonegação de impostos em Mato Grosso.

O presidente da Comissão, deputado estadual Wilson Santos (PSDB), revelou que quer ter acesso a todas as informações referente à sonegação fiscal.

“A CPI já pediu à Delegacia de Homicídios informações sobre o caso. Tudo que estiver 100% ligado a sonegação de incentivos fiscais a CPI vai procurar”, disse o deputado.

O empresário foi morto dentro do seu carro, um Renault Sandero, de cor branca, em janeiro deste ano. O veículo foi encontrado na esquina da Avenida Brasília com a Rua Montreal, no bairro Jardim das Américas, em Cuiabá.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 17 de outubro de 2019 às 10:09:13
  • 17 de outubro de 2019 às 10:07:33