https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/10/a-a-261.jpg

BUSCA E DESESPERO

Mato Grosso tem 1.541 casos de desaparecidos; adolescentes são a maioria

Reprodução

Mato Grosso registrou até o mês de setembro, cerca de 1.541 casos de pessoas desaparecidas.

Os dados são da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp). De acordo com a pasta, os adolescentes da faixa etária de 12 a 17 anos representam a maioria do casos.

No período que compreende os meses de janeiro a setembro de deste ano, 465 pessoas dessa idade foram dadas como desparecidas, sendo 312 do sexo feminino e 153 masculino.

No mesmo período em 2018, 1.544 casos foram contabilizados pela Secretaria.

Em relação às pessoas com idade entre 34 e 64 anos, houve um aumento de 16% nas ocorrências, sendo que em 2018, houve o  registro de 394 desparecimentos, contra 460 neste ano.

Já os idosos com mais de 65 anos somaram 41 em 2019 e 59 no ano passado.

Um dos casos que chamaram a atenção dos Mato-grossenses foi do idoso Isael Lourenço, de 81 anos, que infelizmente não teve o desfecho esperado pela família, de encontrá-lo com vida.

Ele foi dado como desaparecido no dia 19 de setembro. O corpo  foi encontrado 10 dias depois, na manhã de domingo, 29 de setembro, data em que comemoraria 82 anos, em uma região de mata próximo à Avenida Historiador Rubens de Mendonça (Avenida do CPA).

De acordo com o filho do aposentado, o laudo feito pela Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) apontou que  Isael morreu dois dias após sumir.

O caso gerou comoção na capital. Nas redes sociais, várias pessoas lamentaram o ocorrido.

Veículos de imprensa chegaram a realizar uma mobilização para que o idoso fosse localizado.

Imagens de câmaras de segurança até revelaram que o aposentado passou por uma região da avenida do CPA, já outra mostrava Isael dentro de um ônibus do transporte coletivo.

Também nas mídias sociais, foi criada a campanha “Olhe para o lado” com o objetivo de localizar seo Isael.

No dia em que desapareceu, segundo o filho, Isael saiu de sua casa no bairro Pico do Amor  para ir ao mercado, ligou para um membro da família dizendo que havia passado mal e não foi mais visto.

Investigações

O Núcleo de Pessoas Desaparecidas da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) é responsável pelas investigações em casos como este.

A unidade possuí um perfil no Facebook para divulgação de desaparecidos, com o objetivo de auxiliar nas buscas.

De acordo com a Polícia Civil, apesar da grande demanda, 90% dos casos são solucionados.

Além do Facebook, as denúncias podem ser feitas pelos telefones 197/ 181 / 65 3901-4823 / 65 9-9982-7766 (WhatsApp) e no Instagram (@desaparecidosdhppmt).

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 22 de outubro de 2019 às 09:39:41
  • 22 de outubro de 2019 às 09:38:24