https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/10/taques.png

GRAMPOLÂNDIA

Delegada afirma que Taques só sera ouvido quando for conveniente as investigações

Reprodução/Alair Ribeiri

Delegada responsável pelo inquérito que investiga grampos ilegais em Mato Grosso,  Ana Cristina Feldner, afirmou, nesta terça-feira (29), que o ex-governador Pedro Taques (PSDB) só será chamado para prestar depoimento quando for interessante à investigação.

Apesar do tucano já ter pedido para ser ouvido, a delegada afirma que o inquérito segue um rito de prioridades que define quem será interrogado.

“A investigação, ela tem uma dinâmica, toda as pessoas citadas serão ouvidas. Não quando as pessoas querem, mas no momento em que a investigação diz que é o momento oportuno, para a investigação. As oitivas são colhidas conforme a necessidade, oportunidade, a conveniência da investigação”, explicou.

No caso, o tucano é citado no depoimento do coronel da Polícia Militar, Zaquel Barbosa, réu nos grampos.

O militar afirma que para dar início às escutas ilegais, foi procurado, em sua casa, pelo por Pedro Taques e seu primo, Paulo Taques, mais tarde secretário da Casa Civil.

Também são acusados os coronéis Evandro Lesco e Ronelson Jorge de Barros, o tenente-coronel Januário Antonio Edwiges Batista e o cabo Gerson Luiz Ferreira Junior, pelo envolvimento do esquema de escuta telefônicas que grampeou ilegalmente políticos, autoridades e jornalistas.

Os telefones foram interceptados com autorização judicial através de uma técnica denominada barriga de aluguel, quando números de pessoas não investigadas foram incluídos nos pedidos de interceptação encaminhados aos magistrados.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 31 de outubro de 2019 às 10:39:54
  • 31 de outubro de 2019 às 10:38:21