https://matogrossomais.com.br/wp-content/uploads/2019/10/18771-e1570561709438.jpg

FEMINICÍDIO

Empresário e policial acusados de matar enfermeira viram réus em ação

GC Notícias

A Juíza da 1ª Vara Criminal de Sinop (500 km de Cuiabá), Rosângela Zacarkim dos Santos, recebeu a denúncia contra o empresário Ronaldo da Rosa e o policial militar Marcos Vinícius Pereira Ricardi. Os dois se tornaram réus na ação sobre o feminicídio da enfermeira Zuilda Correia Rodrigues.

“Recebo a denúncia ofertada pelo Ministério Público, dando os denunciados Ronaldo da Silva como incurso no artigo 121, §2º, incisos II (motivo fútil), III (meio cruel), IV (recurso que dificultou a defesa da vítima) e VI (feminicídio) e artigo 211, ambos do Código Penal, sob os efeitos da Lei nº 8.072/90 e Marcos Vinícius Pereira Ricardi como incurso no artigo 121, §2º, inciso I (motivo torpe), III (meio cruel), IV (recurso que dificultou a defesa da vítima) e VI (feminicídio) e artigo 211, todos do Código Penal”, diz trecho da ação.

Os acusados têm o prazo de 10 dias para responder a acusação.

Eles devem arrolar até 8 testemunhas, oferecer documentos, justificações e provas para comprovar seus argumentos.

O caso

Zuilda foi assassinada e jogada na tubulação nas proximidades do Centro de Eventos Dante de Oliveira, no dia 27 de setembro.

Ronaldo era marido de Zuilda, ele tinha um ponto de venda de espetinhos no centro da cidade, e o policial trabalhava fazendo entregas.

Inicialmente, o objetivo seria dar um susto na enfermeira simulando uma tentativa de assalto. Mas, a situação teria saído do controle.

Seu corpo foi encontrado após o soldado apontar onde foi jogado.

No entanto, a vítima estava a cerca de 1,5 km do local apontando pelo suspeito, em um córrego.

Segundo a polícia, o corpo estava em estado avançado de decomposição, sem um dos braços e sem a cabeça.

Veja Mais

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


ÚLTIMA ATUALIZAÇÃO

  • 3 de novembro de 2019 às 17:04:43
  • 3 de novembro de 2019 às 14:01:25